segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

vou fazer um resumo das minhas férias em casa... esse é o primeiro ano que não compro um "diário", sinto uma leve sensação que vou pirar, mas eu tenho o blog, né :} o resto eu dou um jeito de dar conta.

passei um ano novo engraçado... meus tios estavam viajando e só ficou aquele que a gente não tem muito contato, mas curiosamente, são meus padrinhos de crisma (oun). fomos lá na chácara com a família estranha da minha tia e com meus avós. 22h serviram a janta (tipo... WTF?), enfim... 23h as pessoas levantaram e foram pra casa de um dos irmãos ver os fogos (tipo... WTF????). ficamos super sem saber o que fazer e resolvemos ir na casa dos meus avós. resultado = eu, mãe, irmão, padrasto, vô e vó, na sacada da casa, tomando champagne e tirando os prendedores de roupa da mão do meu irmão pra ele não jogar lá embaixo. fiquei do dia primeiro até o dia 11 no MAIOR mau humor do mundo! devido a ansiedade extremamente grande de fazer cirurgia. durante esses dias fiz vários exames pré-operatórios e quase desmaiei depois de tirar litros de sangue. dia 12 chegou, às 8h30 tomei um café da manhã; 14h30 fui internada; dormi pra ver se passava a sensação de fome e a sede; 19h me colocaram uma camisola estranha, mandaram eu tirar meus piercings e brincos, coloquei uma "pantufinha" engraçada e uma toca terrível pra esconder os cabelos; até ai, eu tava bem... até que me empurraram uma cadeira de rodas e falaram: "vamos?" subi ao segundo andar naquela cadeira, me sentindo a pessoa mais pequena do mundo. quando cheguei na sala, minha mãe falou: "vem aqui me dar um abraço." eu virei de costas e falei: "não precisa." juro que se eu abraçasse ela iria começar a chorar, sair correndo, gritar, anyway... entrei na sala, dei de cara com 3 jovens estudantes de medicina que iriam ver a cirurgia. deitei na cama, chegou o anestesista e falou: "vamos tomar uma peridural, né? não precisa ser geral" essa foi a pior hora do mundo da minha vida... me desesperei e quase pulei nele, aaah, nunca vou esquecer aquela cara! "NÃO, NÃO VOU! NÃO!! QUERO NA VEIA, NÃO QUERO NA COLUNA, NÃO QUERO, NÃO, NÃO! O MUSSI FALOU GERAL, ME DA GERAL! NÃO QUERO!" depois que ele perguntou: "vc nunca vai ser mãe?" eu me acalmei. a enfermeira colocou um catéter do tamanho do mundo no meu braço, chorei pra por e foi a parte mais dolorida de toda a cirurgia. sentei, coloquei a cabeça no joelho e pqp... PERIDURAL DÓI!! quando ele deu o soco/tapa/chute/cabeçada na minha coluna, recebi uma dose de calmante e até agora não lembro como deitei novamente na mesa... sem contar que nem ligava mais para os guris que iam me ver nua (err). no meio da cirurgia eu abri os olhos. vi a cortina azul na minha frente e tive a impressão de estar no céu, não conseguia falar, só conseguia mexer meus dedos e a unica coisa que eu pensava era: "acordei antes da hora, vou começar a sentir dor, passou a anestesia, AIMEUDEUS!" piorsensaçãoever. acordei na hora em que o médico estava cortando minha perna, parecia que o corte foi até o joelho, fez cócegas... olhei para cima e pof... 20h30 estava no quarto, extremamente fora de si. a primeira coisa que fiz foi pedir pra mãe trazer meus piercings, aí então liguei para meu pai, meus avós, meu namorado e não faço nem ideia do que falei. mais ou menos uma hora depois, chegou uma sopa de água com uns grãos de arroz e umas batatinhas perdidas... nunca tomei uma sopa tão boa, acho que a fome era grande. a unica coisa que lembro depois disso, é que na novela, a (esqueci o nome) estava no motel com o amante e morrendo de medo que o marido descobrisse hahahaha ok. passei terça, passei quarta, fazendo fisio, sendo levada no banheiro, ganhando banho da mamãe... o primeiro banho que tomei foi na cama, com um paninho quente; adivinha só? peguei resfriado pq o quarto tava gelado do climatizador... quem pega resfriado no hospital? aiai... quarta-feira minha mãe lavou meu cabelo, coisa mais boa do mundo naquele momento. de madrugada, tinha que tomar medicamentos, na madrugada de quarta pra quinta, chorei em todos. minha veia estava cansada e eu sentia o medicamento percorrer minha mão e o antebraço... dor demais! as noites eram péssimas. tive que me acostumar a dormir de barriga para cima, com a cama meio inclinada e ainda por cima, de nariz trancado por causa do resfriado... espirrava a cada 20min, no mínimo 6 espirros, um atrás do outro. quinta-feira vim embora. enfim... fiquei 1 semana sem sair da cama, com calos nas mãos de ir até a cozinha/sala/banheiro de muleta, passando mal com os remédios para dor, recebendo visitas, cuidados, flores, presentinhos e tudo mais. dia 16 meu avô estava de aniversário, fizeram costelão e tava a família toda reunida... tive que voltar para casa pq minha perna doía e eu estava muito muito tonta por causa dos remédios. na outra semana, eu já estava indo no banheiro e tomando banho sozinha, ia até a cozinha sem as muletas! dia 23, meu primo casou. fui só pra festa, foi lindo! a família toda reunida de novo (podem ver que eu AMO ver minha família reunida), mas passei a festa toda engolindo choro... em março de 2008, o irmão do meu avô morreu e eu era muitíssimo apegada a ele. então posso dizer que não foi nada bom ver sua família lá e não o encontrar. até hoje sinto um vazio enorme, uma vontade de chorar... sinto muita falta dele, muita. na outra semana, comecei, aos poucos, andar sem as muletas pra lá e pra cá. voltei ao médico para a retirada dos pontos. tirei os pontos e as muletas também :D ganhei uma cicatriz menor, mas está vermelha e coçando... recente, enfim. as vezes, meu fêmur/bacia (ainda não distingui o local) dói, mas a cicatriz é o que mais incomoda. mas tudo lindo :) minha mãe comprou uma casa nova e dia 20/21/22 não sei ao certo, nos mudamos para lá. meu quarto é lindo, tenho um banheiro só pra mim e uma banheira tb. a casa é uma coisa linda, amei, adorei, não saia mais de lá. passei minhas férias sem poder fazer muita coisa, não podia caminhar, não podia pegar sol, sem meu namorado, do qual senti/sinto uma falta terrível. mas aproveitei demais meus irmãos, minha mãe, meu pai, meus avós, meus primos, meus tios. ganhei uma afilhada, Isadora linda da dinda! em maio ela chega x) curti minhas amigas, me decepcionei DEMAIS com outra... enfim, tive umas férias totalmente família. apesar de passar a maioria das tardes sozinha, dormindo e lembrando da terrível frase que não saia da minha cabeça (eu não sou seu cara e vc não é minha menina), foi bom demais! estou a 1 mês e 18 dias sem vem meu namorado, não faço ideia de quando vou ve-lo e prefiro não pensar em nenhuma data, apenas esperar. passei o feriado aqui em casa já e com minha mãe que vai embora amanhã cedinho pq o casal de amigos deles conseguiu estragar o feriado de todo mundo pq não foram pra praia (agradeço a Deus pela paciência que me deu). me despedi deles às 22h30 e só agora, 00h consegui parar de chorar. amanhã vou passar o feriado sozinha e sabendo que poderia estar curtindo minha mãe e o bernardo por mais um dia. enfim... acho que vou dormir. quinta-feira recomeçam as aulas, não vejo a hora de ver meus miguis, tô morrendo de saudade! aliás, saudade é a unica coisa que sinto no momento... da mãe, do pai, dos irmãos, dos avós, dos miguis e demais do namorado. sim, sono eu sinto também. acho que não demora pra eu postar de novo, tenho tanta coisa pra por pra fora... boa noite.

Um comentário:

  1. Andie.. nossa senhora, quanta coisa te aconteceu nestes tempos. E depois eu ficava pensando, por onde andaria esta menina sumida!
    Li e quase não acredito! Vc além de escrever de um jeito sempre intenso e bacana, sabe como contar as coisas prendendo a atenção... isso pra não entrar no mérito de td q eu fui sentindo ao ler... inclusive o desconforto na hora de imaginar vc lá e a peridural... afff!
    Parabéns pelo texto, mas acima de td por sobreviver a tudo isso! Vc é demais né! Adoro mto!!! Sócia!!!

    ResponderExcluir