sexta-feira, 28 de maio de 2010

Ser feliz é uma responsabilidade muito grande. Pouca gente tem coragem.



Já tô de boa desse seu mau humor. Chega? Cansei.




Fim de semana vai ser bom DEMAIS :D

quinta-feira, 27 de maio de 2010


João é um cara super legal. Extrovertido, cheio de amigos e, principalmente, amigas. Sua vida é simples e boêmia, pois nunca perde a oportunidade de tomar aquela cervejinha com os companheiros. Alvirrubro doente, não passa um jogo a que ele não assista. Vai pro campo de camisa, bandeira, pinta a cara e veste peruca. Fica dias de mau-humor quando o time perde e comemora como um louco as vitórias. João é assim, um cidadão do bem. Não fala mal dos outros, mas se antipatiza com alguém, não faz a menor questão de disfarçar. Sem ser grosso, claro. A mulherada adora João.

Também, quem não gosta de um cara assim?

Cheio das amigas, sempre as cumprimenta com um abração. Algumas ele fica, outras já ficou e tantas outras ainda pretende ficar, mas sem estresse. Apesar de lindo, João não faz o tipo galinha. Tanto que, por trás desta vida cheia de farra, ele sente a maior falta de uma namorada. Mas tem que ser assim, alguém tão gente boa e sem frescura quanto ele, do contrário, ele cai fora.

Do outro lado da cidade está Maria. Ela bebe cerveja, assiste ao futebol nos bares da cidade e ainda berra palavrões se a defesa do seu time deixa passar uma bola. Inteligente, bonita, independente... Maria é o que podemos chamar de mulher moderna.
Seu telefone não pára de tocar com convites pra sair, viajar, bater um papinho regado à cerveja. Maria tem um gosto eclético para uma mulher. Além de futebol, curte filmes violentos e de ficção, como também, shows de rock. Ela conta piadas sacanas e detalha sua vida sexual pras amigas, que bolam de rir e retribuem, cada uma com suas respectivas aventuras. Não faz pose de santinha e nem fica chocada quando ouve aquelas conversas tipicamente masculinas. Amigos homens ela tem aos montes, apesar de ser uma gata supervaidosa, seu jeito maloqueira-chic deixa todos à vontade para, só amizade mesmo. Claro que alguns ela já pegou, outros ela pega e outros ela ainda vai pegar. É, porque Maria é quem pega, e não o contrário. Apesar de adorar essa vida, ela sente falta de um cafuné, de aprofundar uma relação, de pensar num futuro. Mas, como todos os mortais, tem lá seus traumas e receios.

De repente, num mágico dia de sol, João e Maria se esbarram, se agarram, ficam de rolo, transam, começam a namorar, casam, fazem filhos e vivem felizes para sempre! Ah como seria bom se a vida fosse assim: romântica e perfeita.

Mas, infelizmente, não é. O que parecia ser a relação ideal se transforma num verdadeiro inferno. João se escandaliza com a quantidade de álcool que a namorada bebe sem ficar alterada, não admite que ela fale nomes feios, e chama as amigas dela de rapariga.

Por outro lado, Maria não suporta a maneira íntima como ele trata as próprias amiguinhas. Quando algumas delas aparecem, Maria faz cara feia e diz que todas são putas e querem agarrá-lo. Aí você deve estar pensando: mas pelo menos eles estão vendo os jogos do Campeonato Brasileiro juntos. Que nada!!! Ela não se interessa mais por futebol.Gostava mesmo era de ir aos bares ver os caras nervosos, berrando e exalando testosterona. E o que é pior, não quer ir e ainda implica quando o namorado diz que vai com os amigos. Pro coitado comparecer ao campo, então, é um inferno. A cerveja depois do jogo, e em qualquer outro horário, virou lenda. É então o que o cara começa a ceder pra evitar confusão, pois nessa altura do campeonato ela já o proibiu de sair com a rapaziada, e justifica dizendo que são todos um bando de cachaceiros e mulherengos. O sexo e a esperança de que a relação volte a ser como era no início são as únicas coisas que seguram este casal. Ela coloca a culpa nele e ele, nela, mas o que ninguém percebe é que ambos destruíram a relação.

Mas como a coisa chegou a este ponto sem que ninguém percebesse? Eles ficam se perguntando.

A resposta pode ser mais simples do que se imagina, basta que cada um responda com total sinceridade às perguntas abaixo:

1- Por que a pessoa muda de personalidade quando começa a namorar, se o que atraiu o outro foi justamente quem você era no início?
2- Por que você obriga o outro a mudar de personalidade se foi essa a pessoa por quem você se apaixonou?
3- Por que, as características que você acha tão legal nos seus amigos, são os maiores defeitos do seu parceiro?
4- Por que o cotidiano do casal tem que mudar completamente ao começar uma relação, ao invés de permanecer o mesmo e o novo namorado apenas ser, especialmente, inserido na sua rotina, sem criar grandes abalos?
5- Por que acreditar que todas as mulheres do mundo querem pegar seu namorado, como se ele tivesse se tornado a mais nova celebridade no dia em que vocês oficializaram a relação?
6- Por que infernizar a vida do outro querendo saber o que fez e com quem, antes de você existir, se você também tem um passado tão "negro e sórdido"?
7- E, o mais importante, por que todo esse inferno e mudanças de atitude e personalidade mútua começam exatamente quando se define a relação como NAMORO?

Enquanto se fica, ninguém cobra, ninguém tem ciúme, ninguém diz como você deve ser e agir.
É impressionante como existem pessoas que passam meses ficando, com toda regularidade, se falam quase todos os dias, sabem tudo da vida um do outro e até preservam uma certa fidelidade, mas não definem a relação porque temem o que pode se tornar, caso essa perigosa palavra seja pronunciada.

O sentimento de posse, de propriedade toma a pessoa de uma forma descontrolada e a fantasia da relação maravilhosa do início faz com que os parceiros cedam. Cedem porque não agüentam a pressão, para evitar briga ou até mesmo, por medo de perder.
Mas, no fundo, guardam a esperança de que tudo vai voltar a ser como era antes...Mas não volta. Tudo vai ficando cada vez pior. E esta mesma ilusão faz com que nenhum dos dois tome a decisão de terminar. É mais fácil fingir ser quem o nosso parceiro quer que sejamos.Ser uma pessoa na frente do namorado e outra quando se está na companhia dos amigos. Mas fingir ser quem não é, irrita, incomoda, dá crise de identidade...É então que começa a nascer uma raiva, um abuso da outra pessoa e até de si mesmo.

Seus olhos passam a enxergar novos horizontes e, de repente, trair não parece ser tão errado, nem difícil, afinal, quem garante que o outro já não está fazendo?

E com essa desculpa a pessoa sai chifrando sem sentir culpa. Anos e anos depois, dois seres apaixonados e apaixonantes não mais se reconhecem e um certo dia, a bomba explode. Solteiros novamente passam a ter aversão a namoro ou qualquer tipo de relacionamento que lembre aquela coleira usurpadora de liberdade e personalidade.
Relações casuais, sem cobranças e satisfações tornam-se ideais, mas o preço que se paga pela superficialidade é um pouco caro: não se vive grandes e loucas paixões, não há entrega, nem sonho, nem sexo com amor. Há apenas aventuras sexuais.

Tudo isso, porque não conseguimos respeitar e amar o outro do jeito que ele é....

Dedico este texto a todos os Joãos e toda as Marias que já destruíram suas relações de tanto cobrar, impor, castrar e também ceder. Que se anularam e perderam seus eixos até não saberem mais quem são e como se tornaram assim. Mas, dedico principalmente, àqueles que estão inseridos neste processo hoje e ainda podem salvar suas relações." Porque o amor só dura em liberdade e o ciúme, é só vaidade.

Sheila Azevedo


o que custa pensar antes de explodir? não tem cabimento, é sério!
eu não curto brigas. briguinhas por motivos fúteis então... aiai. DESGAAAAAAAAAAAAASTE!

quarta-feira, 26 de maio de 2010



quero ter do meu lado pra sempre.



preciso muito de um estágio.

terça-feira, 25 de maio de 2010




get bored.

07:47


Bom dia blog.

Minha alto estima anda tão baixa que eu só faço besteiras.

Parabéns, você consegue estragar tudo, Andressa.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

openyoureyes



Desgaste
s.m. Ato de desgastar.


não precisamos disso, meu amor.


quanto mais a gente ama, mais dói. e no meu caso, o amor é grande demais.





DÓI.

domingo, 23 de maio de 2010

allyouneed.



As vezes eu acordo tão apaixonada, que se eu fosse outra pessoa, certamente me acharia meio ridícula.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

as vezes eu me sinto assim, meio sem saber onde pisar. odeio desconfiar. odeio.


necessito ouvir um "te amo".
Gym Class Heroes pra embalar esse post... http://www.youtube.com/watch?v=UGYCY48Tugw




E se eu estiver grávida mesmo?

domingo, 16 de maio de 2010

origens.



Pele-pele-peleia eu não vou fugir desta guerra não
Não vou deixar eles fuderem minha terra não
É mais fácil morrer estar lutando, eu nunca vi peão gaúcho se entregando
Macho não é quem bate na mulher
Homem eu vou dizer o que que é
Gaúcho macho do chão farroupilha protege e ama a sua família
Necessidade todo mundo passa qualquer raça qualquer massa
O português, o gringo, o italiano, o alemão, o índio, o africano
Somos todos irmãos sob esse céu azul somos brasileiros do Rio Grande do Sul
Prepare a erva comece a pensar pois a peleia vai começar

Não podemos se entregar pros ômi de jeito nenhum
Não tá morto quem peleia aqui sob o céu azul
Não podemos se entregar pros ômi de jeito nenhum
Pois somos todos brasileiros do Rio Grande do Sul

Cabelos enosados pelos ventos dos pampas
Longos cachos ou tranças embalam no galope
O vento revida o trote da mulher forte vivida que desde cedo canta
E levanta a tradição é o dom do coração certeiro
Que se entrega por inteiro sem medo do futuro ela anda no escuro
Se preciso for ela é mulher ela sabe bem quem é ela sabe o seu valor
Orgulho e suor escorrem do seu rosto que exposto ao incerto
Torna concreta toda a peleia mulher gaúcha rancheira da serra ou do litoral
Ela ama e luta nunca foge da disputa que a vida traz faz faz
O que tiver de fazer faz o chimas se duvida vem aqui pra ver
E ainda arranja tempo pra mandar a prosa pra vocês pra vocês

É aí que começa a nossa história china véia
Povo crioulo gineteando tua idéia
Tradição de mão em mão geração geração cuia erva chimarrão
Abre a porteira boleia falo de tudo que nos rodeia
História raiz quem disse que não ama sua terra me diz?
Maloqueiro a galope pelos pampas minha voz minha prenda minhas crenças
Diferenças eu guardo na guaiaca gente pequena gente ruim gente fraca
Do extremo sul Trovadores RS a favela é nossa cara com respeito a quem merece
É os sangue aqui dos pampas atitude prevalece
Prepare a erva comece a pensar pois a peleia vai continuar

Boleia a perna vivente amarra o pingo iniciou a bailanta
Eu tô falando aqui do Sul quem tá sentado levanta
É som de gente bamba gaúcho aqui dos pampas
Bagual de tirar cria vivente preto campanha
Porque da querência ao pago velho não embasso
Eu sou PX sangue bom índio maragato
Não corro sem ver do que quando a coisa fica feia
Pois na favela o bicho pega e não tá morto quem peleia-leia-leia

Rima segue na batida boto o dedo na ferida
O microfone é minha arma enquanto houver injustiça
O gaiteiro toca a gaita e eu não perco o tom da rima
Ala puxa tchê bagual se não gosta vem pra cima
Uno o rap à tradição valorizo o som da terra
Rio Grande terra de gente que na guerra não se entrega
Sou gaúcho tô na boa toma aí um chimarrão

Revolução na coxilha farroupilha
Mano da terra não vacila não foge da briga
Na aurora pampeana xirú da campanha
Chimarreando não se espanta ao mirar o pampa
No meu solo Rio Grande povo guerreiro se expande
Que a peleia não perde a chance
Prepare a erva comece a rezar pois a peleia vai recomeçar








saudade.

mágoa.

e depois do acontecido, minha confiança anda lá no chão.
eu até queria, mas não consigo esquecer.
duas fotos... foi o necessário.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Fiz mais do que posso
Vi mais do que aguento
E a areia nos meus olhos é a mesma
que acolheu minhas pegadas.

Depois de tanto caminhar
Depois de quase desistir
Os mesmos pés cansados
voltam pra você.

Eu lutei contra tudo
Eu fugi do que era seguro
Descobri que é possível viver só
Mas num mundo sem verdade.

13.





amovocê.

quarta-feira, 12 de maio de 2010


O caminho da iluminação consiste em perder, e não obter: perder o ego, a ignorância, as ilusões, desfazer-se da casca, voltar a ser um. Assim acaba o jogo do parecer ser e começa a conquista do ser, único caminho a proporcionar equilíbrio, beleza e brilho ao espírito humano. A libertação do ser, a vontade de se desprender, ser como o ar...Voar, sentir, ser, amar...Deixar a vida tomar conta, essa energia maravilhosa que nos move como a melodia de uma música, com todo o seu ritmo, sua frequência, sua harmonia e magnitude.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

mãe


vó - madrinha - mãe


Como ontem foi dia das mães, não posso deixar de agradecer a elas, que tanto me ajudaram. Obrigada, obrigada, obrigada. Por tudo, hoje e sempre! Primeiro dia das mães que passei longe... aiai, como é ruim.

Sempre bom lembrar de valorizar ao máximo a mãe que a gente tem. Nada nunca vai se comparar ao amor dado por elas. E sinto por todas aquelas pessoas que não podem dizer o mesmo que eu, por não ter a mãe aqui presente ou por elas não estarem presentes de coração - penso eu, que essa é a forma mais triste de não se ter uma mãe.


amo vocês mães, amo você mãe!

domingo, 9 de maio de 2010

carpe diem.



o que eu queria mesmo da vida era pegar uma máquina fotográfica legal e sair por ai, fotografando o mundo do jeito que ele realmente é. conhecendo culturas, vidas, pessoas, gostos e cheiros diferentes. queria conhecer a pessoa de verdade, com suas mágoas e conquistas. queria morar na praia e lá, criar meus filhos para natureza, com a educação necessária para o ar e para o mar. queria aproveitar meu dia do nascer até o pôr do sol. queria sentir o cheiro do ar limpo. queria ter minha casinha, sem frescuras, cuidando e amando de pessoas únicas pra mim. eu não preciso de muito pra ser feliz... só de uma mente elevada, paz de espírito e amor ao próximo. vou concluir minha faculdade de publicidade e propaganda, trabalhar com algo que me faz bem e viver a vida vivendo a vida.


vontade de largar tudo e sair por ai... tudo lindo, tudo numa nice... curtir o que a vida e o mundo tem de bom pra dar... e só.

sábado, 8 de maio de 2010

burn.

DOENÇA DO REFLUXO GASTRO-ESOFÁGICO - DRGE

O que é?

É um conjunto de queixas que acompanha alterações no esôfago resultantes do refluxo (retorno) anormal do conteúdo estomacal, naturalmente ácido, para o esôfago.

O que se sente?

A azia é a principal queixa e raramente não ocorre. Seu nome técnico é pirose. Pode piorar, por exemplo, quando se dobra o peito sobre a barriga e quando se deita com o estômago cheio. É referida como ardência ou queimação, em algum ponto entre a "boca do estômago" e o queixo, correndo por trás do esterno, o "osso do peito". A azia pode ser tão intensa como uma dor no peito, causando impressão de infarto cardíaco. Pode ocorrer também um aumento da salivação, a sialorréia, que é um reflexo natural porque a deglutição dessa saliva alivia a queimação, como se fosse um antiácido natural.

A regurgitação é a percepção da volta do conteúdo estomacal no sentido da boca, sem enjôo ou vômito, freqüentemente, com azedume ou amargor. Não raro determina tosse, pigarro e alterações da voz. O engasgo - tosse forte e súbita, atrapalhando a respiração - pode despertar do sono e representar uma situação de refluxo gastro-esofágico. A ocorrência de falta de ar com chiado no peito, como a asma, pode ser desencadeada pelo refluxo.

Sensações, desde bola na garganta e desconforto ao engolir até fortes dores em aperto - espasmos - no meio do peito, representam uma desorganização das contrações faringo-esofágicas responsáveis por levarem ao estômago aquilo que ingerimos. Esses sintomas são considerados complicações do refluxo e levam o nome geral de dismotricidade esofágica.

e quando eu lembro que você é aquele menino que fez eu me apaixonar irrevogavelmente ao passar 1 semana dormindo e acordando do lado, na praia, numa cidade nova, com uma família nova, que me levava pra conhecer e ver mil lugares... eu me apaixono perdidamente tudo de novo. ainda sinto o cheiro e o gosto daquela nova fase que estava só começando.



amo você.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Magoa
s.f. Dor. / Sentimento de tristeza, pesar; desgosto. / Ressentimento.







qual é a diferença, em mim?

possibility


já faz um tempo que me olho no espelho e não consigo ver a mim.

não vejo beleza em nada, não vejo qualidades... acho que esqueci no que sou boa. esqueci o porque as pessoas gostam de mim. o que eu tenho de bom? o que eu faço de bom?

minha vida se perdeu numa encruzilhada e não consegue mais juntar os pontos.

a um tempo atrás, todo mundo falava do quanto eu era querida com os outros e tudo mais... e agora? nem isso sinto mais ser.
hoje, o que eu mais escuto é que tenho uma energia ótima. onde ela está em mim? não a sinto.
não me sinto bonita em nenhuma parte. não me sinto desejável, não tenho um corpo bonito... e se isso não bastasse, ainda sou doente, de várias coisas e partes do corpo. não tenho nada de legal. nada que me diferencie de outras meninas. sou comum. só mais uma. quem gosta de alguém assim? quem vai amar alguém assim?

sinto exagerar, mas é o que eu tô sentindo no momento. em um momento que eu não consigo me olhar no espelho, em um momento que não tiro a calça pra não precisar ver o corte que tem embaixo dela. em um momento que tenho que tomar remédio antes de qualquer outra coisa no dia.



quais são as minhas qualidades? no que eu sou boa? no que eu sou bonita? sou uma boa namorada? sou uma boa amiga? sou uma boa filha? esqueci... tudo isso.





vai passar...

domingo, 2 de maio de 2010




CAMPEÃO GAÚCHO 2010!