quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Minha cara, prá que tantos planos?

E esse ano de 2011, hem? Já deveria ter acabado, pronto, já deu. Sei que é completamente inútil pensar: "ah, ano que vem melhora", mas se não melhorar, meu amigo, COMO É QUE VAI SER? Minha saúde caiu, terminei meu namoro, briguei com a minha mãe, faz 20 dias que não falo com meu pai, to morando numa casa nada ver... nossa, já chega 2011. 
Vi muitos casais legais terminarem esse ano. Até Zezé di Camargo e Luciano brigaram, porque casaisinhos não podem também, né? Meu namoro terminou. Terminou pela metade, porque ainda morro longe. Por que tem que ser assim? Por que não da pra falar: "tchau, passe bem!" e só? Pode ter pessoas contra, pode ter pessoas a favor, pode ter pessoas na puta que o pariu, mas sabemos que uma hora as coisas se ajeitam. Eu sei. Lá no fundinho, eu sei que quando acordo ao lado dele, meu mundo para por 2 segundos. Bom, isso já é o suficiente para eu saber que amor é uma merda. E que cedo ou tarde, vou acordar ao lado dele pra sempre. Mais cientes, mais responsáveis, mais independentes, mais tranquilos, mais calmos.
Enfim... eu quero muito viajar. Ficar longe, me desligar de tudo e de todos. Por que será que tenho isso? Sempre que alguma coisa acontece, eu preciso me desligar de TUDO, pra não ter opiniões de ninguém, sabe? Tipo: eu, Andressa - você, mundo. To completamente afundada em dúvidas e não preciso de ninguém falando: "é, acho melhor tu fazer isso". Ok, ok. Sei bem o que eu quero: me formar, viajar, morar na praia, ter filhos lindos, casar, trabalhar e ficar RICA. Pronto, meu amigo, RICA. Feliz, sem ninguém pagando minhas contas a não ser eu... RICA. Só isso. E se tu quiser me acompanhar, vai ter que ser assim... easy.

Agora senta ai e toma um café, porque o mundo já acabou faz tempo.














Porque ninguém vai dormir nossos sonhos...


terça-feira, 1 de novembro de 2011

Isso vem da solidão?

Eu quero falar, juro que quero. Talvez as palavras estejam tão inertes quanto a vida. A vida, essa sim anda diferente. To me recompondo, pegando os pedaços perdidos nas esquinas, colocando aqui, colocando ali... uma hora recomponho todas as partes e assim, quem sabe, me conhecerei melhor. Não vou dizer que morar em um prédio com mais 50 meninas, seja bom, mas eu to legal. Hoje ando vendo a Andressa que há tempos não via. Isso vem da solidão?
Pela primeira vez em muito tempo, estabeleci metas na minha vida, metas que podem ser alcançadas. Importante ter no que se apegar, ter no que programar o futuro, ter no que pensar quando acordar. Ter o que falar quando lhe perguntam aquela infeliz pergunta:  "Onde você se vê daqui há 5 anos?". Ah, filho, daqui há 5 anos quero estar no mundo. Hoje sei responder até 10 anos, 20 anos. Isso vem da solidão?
Hoje sei o que me faz bem, o que não me faz bem, quem eu quero ser, quem eu não quero ser, onde eu quero chegar, onde eu não quero chegar, o tipo de gente que eu quero por perto, o tipo de gente que eu não quero por perto... isso vem da solidão? 
Quando ficamos sozinhos só vemos a nós mesmos, isso anda me fazendo bem. Pensando: "não faz assim, faz assado". Confesso que as vezes me pergunto: "Por que não fiz assim?". Mas do que me adianta essa pergunta?  Agora é momento de: "Por que não faço assim?". Claro que sempre tem um ou outro que me faz retroceder nas minhas evoluções. Sempre tem aquele me deixa desanimada com um passo futuro ou aquele que apoio não existe no dicionário. E ai, eu me sinto mais sozinha do que de costume. Posso dizer que estou mais tranquila? Sem comentários, sem intrometimentos... to fazendo a minha vida aqui, 24 horas por dia. Importante, né? Uma hora alcanço tudo por inteiro. 

sábado, 8 de outubro de 2011

rotina



Você não me ensinou a te esquecer
Você só me ensinou a te querer
E te querendo eu vou tentando me encontrar

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

há tempos...


Parece cocaína
Mas é só tristeza
Talvez tua cidade
Muitos temores nascem
Do cansaço e da solidão
Descompasso, desperdício
Herdeiros são agora
Da virtude que perdemos...
Há tempos tive um sonho
Não me lembro, não me lembro...
Tua tristeza é tão exata
E hoje o dia é tão bonito
Já estamos acostumados
A não termos mais nem isso...
Os sonhos vêm e os sonhos vão
E o resto é imperfeito...
Dissestes que se tua voz
Tivesse força igual
À imensa dor que sentes
Teu grito acordaria
Não só a tua casa
Mas a vizinhança inteira...
E há tempos
Nem os santos têm ao certo
A medida da maldade
E há tempos são os jovens
Que adoecem
E há tempos
O encanto está ausente
E há ferrugem nos sorrisos
Só o acaso estende os braços
A quem procura
Abrigo e proteção...
Meu amor!
Disciplina é liberdade
Compaixão é fortaleza
Ter bondade é ter coragem (Ela disse)
Lá em casa tem um poço
Mas a água é muito limpa...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Adeus.


"Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas — se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim.”


CFA

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

chega!


Não, não te quero mais
Agora eu que decido
Aonde eu vou
Não, não, não suporto mais
Prefiro andar sozinha
Como sou...
Andar de madrugada
Feito traça
Feito barata
Feito cupim
Dizer prá mim
Que eu gosto mais de mim
Que eu sou assim
E não tem jeito...
Vai sair da minha vida
Você vai ter que mudar
Da minha casa
De atitude
Chega!
Ainda mais agora
Que eu vou viajar
Prá me livrar de você
Não quero mais ser seu amigo
Nem inimigo
Nada!...
Prá você é o fim da estrada
Com você fechei a tampa.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.

Será que vai ser sempre assim? Bater a cabeça, achar que algo vai dar certo e depois me surpreendo tanto, que não para de doer, e me pergunto se essa dor vai ser pra sempre, e é ai que lembro que passa, tudo passa, eu sei que passa, então tenta voltar a conseguir comer algo, e conversar com as pessoas sem aquele aperto no meu coração, pois é assim que vivi quando estive amando, com medo, triste, enfim... essa é a dor que um dia prova que eu senti tudo que alguém podia sentir, só que apenas em um coração, então não sei se aguento, pois é apenas um coração... 

Por alguns momentos, apenas alguns momentos, é como se houvesse assim uma espécie de esperança, de possibilidade de esperança.

 

 

 

Não vou perguntar porque você voltou, acho que nem mesmo você sabe. (...) Só vou perguntar porque você se foi, se sabia que haveria uma distância, e que na distância a gente perde ou esquece tudo aquilo que construiu junto. E esquece sabendo que está esquecendo...

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

do cóccix à nuca.

Ou talvez eu só precise de férias, um porre e um novo amor. Porque no fundo eu sei que a realidade que eu sonhava afundou num copo de cachaça e virou utopia. Mas fique feliz, fique bem feliz, fique bem claro, queira ser feliz. Você é muito lindo e eu tento te enviar a minha melhor vibração de axé. Mesmo que a gente se perca, não importa, que tenha se transformado em passado antes de virar futuro. Mas que seja bom o que vier, para você, para mim.




Juro que minhas costas vão cair do meu corpo. Fazia muito tempo que não sentia assim... to quase chorando de dor! Saaaaaaaaaaaidemimmmmmmmm! E como to aqui na sala foreveralone, sem ninguém para conversar, vou chorar a dor nas costas aqui:

:~

domingo, 21 de agosto de 2011

Hoje.

Hoje? Hoje eu acordei melhor. Acordei mais calma e com a cabeça limpa. Parece que quando acontece alguma coisa ruim, demora mil anos pra gente se decidir, né? Mas e ai, que hoje eu acordei com as ideias todas organizadas, gosto de saber o que vou fazer e como vou fazer. Mas não depende só de mim, né? Então, eu espero.
Fui no cinema, comi, dei risada... minhas amigas são lindas! Agora, de banho tomado, fim de Faustão, um frio terrível, vejo a Bruna com o bibibi dela ali no quarto, Carol indo ver o bibibi dela daqui a pouco e eu... forever alone. Acho que deveria ser proibido dar um frio assim enquanto nós estamos sozinhas, principalmente se for no domingo. Er!

sábado, 20 de agosto de 2011

.

Oi coração.. onde você está? Pulou para fora do meu peito... volta?!







Resolvi que nesta noite de inverno em que vamos virar a noite de sábado pelo avesso da noite de julho, ninguém vai falar no que podia ter sido e não foi.

é!


Fiquei feliz em poder sentir tua falta, - a falta mostra o quão necessitamos de algo/alguém. É assim o nosso ciclo. Eu te preciso. Perto, longe, tanto faz. Preciso saber que tu está bem, se respira, se comeu ou tomou banho... Me faz bem pensar nessas atividades corriqueiras, que supostamente você está fazendo. Ah, e eu estou te esperando, com meu vestido longo, óculos escuros grandes e meu coração pulsando forte, e te abraçar até sentir o mundo girar apenas para nós. É, eu gosto muito de ti.

Falando bem na real agora.

Imagina um lugar, um lugar que você quer chegar e que você ama, mas só da pra chegar lá de barquinho. Então, você e alguém pegam um barquinho e vão remando, remando... até atravessar todo o rio e chegar nesse lugar. No meio do caminho, você cansa, tem vontade de jogar o remo lá do outro lado do mundo e tacar fogo no barquinho... mas ai você pensa: calma, eu amo aquele lugar, eu vou chegar até ele. Aí então, você tenta coisas diferentes... uma remada diferente, senta em um outro lugar do barquinho... tudo, menos desistir de remar, pois o lugar está lá, você o ve, você quer ele. Mas pode ser que a outra pessoa que está com você desista na metade desse caminho e joga o remo dela tão longe que você nem consegue mais ver. Essa pessoa continua no barco, mas não está remando com você, então, seus braços cansam, você cansa. Vocês brigam, pois é justo só você remar? Não, não é... e a outra pessoa sabe disso. Então ela se joga no rio e volta nadando. E ai, que fica difícil para ela voltar nadando, pois dói, machuca... ela encontra dificuldades, vontade de voltar para o baquinho, saudade de estar lá. E você, sozinho no barquinho, para de remar tanto, volta para o começo do rio, mas com tranquilidade e sofrendo o dobro, pois tá remando sozinho e também sente falta da outra pessoa para remar com você. Mas quando você se ve sozinho no barquinho e o lugar lá tão distante, pensa: não, a outra pessoa não amava tanto aquele lugar, não. Mas vocês ainda compram outros barquinhos, um para cada um, e acham outras pessoas para remar com vocês... no meio do caminho você nota que aquele caminho que você está percorrendo não tem tanta graça com outra pessoa, que não seja aquela, do primeiro barquinho, pois no seu coração, teria que ser ela lá remando com você. Então você lembra mais uma vez, que aquela pessoa desistiu e por mais que seja difícil, luta para esquecer e ser feliz no seu barquinho, remando de um outro jeito, em um outro caminho.

De tudo o que anda acontecendo, esta é exatamente a minha opinião:
Você acha que o nosso amor pode fazer milagres? - Eu acho que o nosso amor pode fazer tudo aquilo que quisermos.

Sempre foi esta a minha opinião. 

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Posso chorar aqui? Sei que engolir o choro e morrer de dor de cabeça não é saudável, mas que dor, meu Deus, que dor! Sim, agora estou morrendo por dentro, deixei meu coração lá na rua, bem no meio dela, com o sinal no "verde". E agora também estou sentindo que nunca mais vou passar por nenhuma outra experiência mais horrível que esta. Mas vai passar... não vai?
Na minha cabeça, fim não existe aqui... não agora, não assim. Pra mim, ainda to aqui escrevendo e escrevendo, mas esperando uma ligação dele no meio da noite, entende? Que ele venha me raptar e me roubar de toda essa realidade e esse sentimento horrível que eu to sentindo agora.
Se acabou? Acho que sim. Eu sei que era isso que ele queria, pode ser não que queria, mas que acreditava que iria acontecer... então... o que eu espero? Mas eu espero... porque o amor, esse ainda não acabou... e meu Pai... esse parece que nunca vai acabar.

fim.

17/08 

Moro em uma casinha lindinha, com elefantes coloridos pendurados no teto, barulhos de passarinhos cantando durante o dia todo e ainda acordo todas as manhãs ao lado da pessoa que eu amo. Curso algo que eu adoro, sei bem onde quero chegar e levo a vida mais tranquila.

Estou feliz assim e aceito continuar deste jeito.



(...)

 Ele não era um menino comum, isso eu soube desde que o vi. Foi quando eu senti, mais uma vez, que amar não tem remédio.

Só espero estar sempre tomando as decisões corretas, pois se for meu, volta, se não for pra ser, Deus sabe o que faz.

E hoje eu queria alguém que me dissesse que eu não precisava me preocupar, um ombro, uma mão. Desculpe tanta sede, tanta insatisfação. Amanhã, amanhã recomeço. Te espero, te gosto, te beijo.







Ele disse: - Eu não vou me esquecer de você.
Ela disse: - Nem eu.

reticências



Olhe, não fique assim não, vai passar. Eu sei que dói. É horrível. Eu sei que parece que você não vai agüentar, mas agüenta. Sei que parece que vai explodir, mas não explode. Sei que dá vontade de abrir um zíper nas costas e sair do corpo porque dentro da gente, nesse momento, não é um bom lugar para se estar. Dor é assim mesmo, arde, depois passa. Que bom. Aliás, a vida é assim: arde, depois passa. Que pena. A gente acha que não vai agüentar, mas agüenta: as dores da vida. Pense assim: agora tá insuportável, agora você queria abrir o zíper, sair do corpo, encarnar numa samambaia, virar um paralelepípedo ou qualquer coisa inanimada, anestesiada, silenciosa. Mas agora já passou. Agora já é dez segundos depois da frase passada. Sua dor já é dez segundos menor do que duas linhas atrás. Você acha que não porque esperar a dor passar é como olhar um transatlântico no horizonte estando na praia. Ele parece parado, mas aí você desvia o olho, toma um picolé, lê uma revista, dá um pulo no mar e quando vai ver o barco já tá lá longe. A sua dor agora, essa fogueira na sua barriga, essa sensação de que pegaram sua traquéia e seu estômago e torceram como uma toalha molhada, isso tudo – é difícil de acreditar, eu sei – vai virar só uma memória, um pequeno ponto negro diluído num imenso mar de memórias. Levante-se daí, vá tomar um picolé, ler uma revista, dar um pulo no mar. Quando você for ver, passou. Agora não dá mesmo pra ser feliz. É impossível. Mas quem disse que a gente deve ser feliz sempre? Isso é bobagem. “É melhor viver do que ser feliz”. Porque pra viver de verdade a gente tem que quebrar a cara. Tem que tentar e não conseguir. Achar que vai dar e ver que não deu. Querer muito e não alcançar. Ter e perder. Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e dizer uma coisa terrível, mas que tem que ser dita. Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e ouvir uma coisa terrível, que tem que ser ouvida.Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e ouvir uma coisa terrível, que tem que ser ouvida. A vida é incontornável. A gente perde, leva porrada, é passado pra trás, cai. Dói, ai, doi demaais. Mas passa. Está vendo essa dor que agora samba no seu peito de salto agulha? Você ainda vai olhá-la no fundo dos olhos e rir da cara dela. Juro que estou falando a verdade. Eu não minto. Vai passar.

Eu te amo. Mesmo negando. Mesmo deixando você ir. Mesmo não te pedindo pra ficar. Mesmo não olhando mais nos teus olhos. Mesmo não ouvindo a tua voz. Mesmo não fazendo mais parte dos teus dias. Mesmo estando longe, eu te amo. E amo mesmo. Mesmo não sabendo amar.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

:)



Moro em uma casinha lindinha, com elefantes coloridos pendurados no teto, barulhos de passarinhos cantando durante o dia todo e ainda acordo todas as manhãs ao lado da pessoa que eu amo. Curso algo que eu adoro, sei bem onde quero chegar e levo a vida mais tranquila.

Estou feliz assim e aceito continuar deste jeito.


sábado, 13 de agosto de 2011

CF



Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e dizer uma coisa terrível, mas que tem que ser dita. Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e ouvir uma coisa terrível, que tem que ser ouvida. A vida é incontornável. A gente perde, leva porrada, é passado pra trás, cai. Dói, ai, dói demaais. Mas passa. Está vendo essa dor que agora samba no seu peito de salto agulha? Você ainda vai olhá-la no fundo dos olhos e rir da cara dela. Juro que estou falando a verdade. Eu não minto. Vai passar.


 Chegue bem perto de mim. Me olhe, me toque, me diga qualquer coisa. Ou não diga nada, mas chegue mais perto. Não seja idiota, não deixe isso se perder, virar poeira, virar nada...
Se não for hoje, um dia será. Algumas coisas, por mais impossíveis e malucas que pareçam, a gente sabe, bem no fundo, que foram feitas pra um dia dar certo.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Bruna Marmith.

Amigaaa, PARABÉÉÉNNNNSSS!!!!

Desejo a você muuuuita saúde, amor, fé, amizades, sucesso, muita muita muita felicidade, força e coragem! Afinal, sabemos muito bem que essa vida não é nada fácil, sempre encontramos obstáculos pelo nosso caminho, que muitas vezes nos fazem pensar em desistir de tudo, não é mesmo?
Por isso desejo todas essas coisas boas a você! Para que você possa superar todas as adversidades da vida com muita força e determinação, não esquecendo que pode sempre contar comigo para tudo, tudo mesmo!
Desejo que você possa viver muitos momentos felizes e inesqueciveis ao lado de quem ama, que você possa dar muita risada de coisas bobas e das coisas sérias também e que você possa se livrar de tudo aquilo que te faça mal!
Desejo que você possa continuar a ser essa mulher maravilhosa que é, sem jamais esquecer aquela menina que eu conheci com 7 anos! Aquela menina cuja risada contagia, cujo olhar hipnotisa, cuja personalidade impressiona, e cuja simplicidade cativa a todos!
Brilha minha estrelinha, brilha!
AMO VOCÊ!
Incondicionalmente e eternamente!


Esse foi o melhor parabéns que eu já ganhei, claro que, vindo dela, quase todos os parabéns que ganhei foram maravilhosos, mas este me fez chorar. Talvez porque ela me conhece desde muito tempo ou porque ela viu eu passar por todas as fases ruins que já tive na minha vida. Falo pouco dela, não conto tanto, as vezes parece, mas eu amo, amo demais, ter a amizade dela. Como recebi esse recado por Orkut, quero salva-lo em outro lugar. 
Amo você. Obrigada!

domingo, 7 de agosto de 2011

Paper clips.





Eu quis te conhecer mas tenho que aceitar, caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá. Pode ser cruel a eternidade, eu ando em frente por sentir vontade. Eu quis te convencer mas chega de insistir, caberá ao nosso amor o que há de vir. Pode ser a eternidade má, caminho em frente pra sentir saudade.










Eu posso esquecer de mim mesmo, tentando ser outra pessoa 
Eu estou certo de que nós podemos ir em frente.
E satisfazer meu dia.
Eu deixo você ficar comigo se você se render.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

I hope you are seeing...




Someday I'll die for you
Baby I'd die for you


I know I seem discovered

But I'm buried deep inside
There's a hole so wide
You can see through it day or night
Come on and let me try



It's you and me against the world

But the world is learning
So knock on my door
And let my world start turning



And I was feeling low

You show me where this boy should go
Meet me at the end of the road
I need someone to hold
Yeah I need someone to hold



It's you and me against the world

But the world is learning
So knock on my door
And let my world start turning



I see it's up to me

And now we'll watch me suffer
Oh I see it's up to me
And now we'll watch me suffer
And no wonder



It's you and me against the world

But the world is learning
Don't you knock on my door
And let this world start turning
Start turning
Turning
I hope you are learning
I hope you are learning
Babe, I hope you are learning yeah


The Verve - You and Me

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Take anything you want from me.

Passei a madrugada toda com muita dor de estômago e ansia de vômito. Assim, muita dor! Que droga. Sabia que uma hora o nervosismo que passei nos últimos dias iria aparecer dessa forma. O negócio é que já são 14h e eu não consigo sair da cama, não consigo me mexer. É muita dor :/ dor, frio, tristeza e solidão. Pois é, to me sentindo terrivelmente sozinha. Não sei se me acostumei a ficar sempre na companhia de alguém nessas férias, só sei que estou forever alone aqui nesse quarto escuro e gelado. Então hoje eu irei dormir na casa de minhas amigas, para rir, conversar, esquecer um pouco dessa fase ruim e esperar, lindamente, que eu durma sem pesadelos e dor de estômago. Agora só preciso conseguir levantar da cama, comer, me arrumar, ir para aula e mimimi. Preciso dar um tempo na tentativa de entender como o desrespeito tomou conta. Às vezes tenho vontade de ser tão mal educada quanto a pessoa, mas não consigo... não consigo! Como vou ser mal educada com quem eu amo e divido a minha vida? Ah, nem rola. Acho que preciso ser ausente da sua vida, tanto quanto você anda sendo da minha.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

PLOP


Hoje eu acordei com uma vontade de não acordar. Uma vontade de não abrir as janelas, de não levantar da cama, de não viver. Ando tendo essas vontades depressivas... credo. Preciso de um emprego novo e nem quero mais saber da coluna, cansei de esperar, por ela eu não trabalharia nunca mais.
Agora tenho que criar coragem e ligar para a minha mãe, que não fala comigo. Meu irmão fez cirurgia da adenóide, coitadinho. Mas deve estar tudo bem (se é que ele já foi operado, não sei).
Vamos lá, vamos viver. PLOP.

domingo, 31 de julho de 2011

Glacies have melted to the sea.



E toda manhã que eu acordo e lembro que você não falou comigo, me sinto perdida. Sinto como se meu dia estivesse pela metade, faltando alguma coisa importante. Sei que preciso me desligar de você. Sei que preciso parar de viver minha vida de acordo com o que você acha certo... não posso viver sempre como  você quer. Sai de casa, cresci, tenho a minha vida, mas quando ela não anda nos trilhos que você coloca no meu chão, isso tudo acontece... dias sem nos falar, e quando nos falamos sinto aquele tom de decepção na sua voz. É, você não é a única que conhece os outros aqui, te conheço bem também; não adianta falar: "tá tudo bem", eu sei bem quando não está. Eu amo você mais do que qualquer outra pessoa no mundo, mas preciso viver minha vida por inteiro, mesmo sabendo que você não está 100% aqui do meu lado. Preciso descer dos seus pés, parei de dançar em cima deles já faz um tempo. 

sábado, 30 de julho de 2011

Let you take every line I've got.



If you want me
Let me know
Where do you wanna go
No need for talking
I already know
If you want me
Why go?
But if stars, shouldn't shine
By the very first time
Then dear it's fine, so fine by me
'Cos we can give it time
So much time
With me

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Well, she's walking through the clouds.





Bem, ela está caminhando pelas nuvens
com uma mente de circo, que está enlouquecendo.
Borboletas e zebras e raios lunares e contos de fadas, 
É só sobre isso que ela pensa... 
Passeando pelo vento. 
Quando eu estou triste, ela vem até mim com mil sorrisos. 
Ela me dá de graça. 
Tudo bem, ela diz, tudo bem. 
Pegue qualquer coisa que você quiser de mim, qualquer coisa. 
Voe, pequena asa.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Cansei.


Já chega. Essa fase já me mostrou tudo o que deveria mostrar ou me ensinar. Chega! Vamos brincar de um dia em que acordo e vou dormir sem notícias ruins? Vamos?!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Dai-me forças.

Às vezes eu acho que as coisas vem acontecendo pra me provar alguma coisa ou talvez me ensinar outra... mas Deus, eu não sou tão forte assim! Parece que tudo anda aos poucos tirando partezinhas do meu coração. Sinto que se for embora, vou estar cometendo um erro gigantesco, mas eu preciso continuar, tenho minha vida e toda aquela coisa. Ando perdida. Ando cansada. Ando precisando chorar por horas e sozinha. Ando precisando ficar só. Preciso sentir que as pessoas que eu amo, não estão se sentindo mal. Tá sendo muita coisa pra mim, meu Deus... é muita gente que eu amo passando por dificuldades. Pessoas lindas, queridas, de coração bom... o que acontece? Nenhuma merece nada disso que anda acontecendo.
E eu, que vim passar as férias e as lembranças que irão comigo não são nada boas. Não sei pra que lado me jogar. Meu pai com câncer, minha mãe que não está feliz, meu avô que anda sendo humilhado no trabalho pela própria nora... O que vem depois? Por que as pessoas boas recebem isso em troca? Ah, meu Deus, sei que não devo lhe cobrar, mas por que tudo isso? Onde eu tiro o restante da força que anda sumida aqui dentro de mim? Onde eu me seguro quando as lágrimas vem nos olhos?
Sinto vontade de abraçar o mundo e não consigo. Sinto vontade de pegar cada um daqueles que eu amo e levar para um passeio, para sorrir e esquecer dos problemas. Sinto vontade de cavar buracos, para tentar achar alguma força escondida em mim. Sinto vontade de pegar certas pessoas, que mesmo eu amando muito, merecem uns bons tapas na cara e assim fazer. Me sinto inútil. Me sinto sozinha. Não ando me sentindo amada como sentia uma vez.
Sei que preciso ter pensamento positivo sempre, mas não to conseguindo! Preciso de um ombro amigo, eu acho. Alguém que me escute reclamar, chorar, fraquejar, e que depois me de o melhor abraço do mundo, acompanhado com boas palavras. Sei que tudo vai ficar bem. Sei que logo tudo isso passa. Sei que é só uma fase. Sei que quando passar vou me sentir mais forte. Sei que vou conseguir. Sei que vamos conseguir.

Santa Maria, cuida de nós!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Falta.


Ontem ganhei o dvd do O Teatro Mágico. Ao ouvir, me deu uma pontada de nostalgia, de saudade, de alegria, de felicidade compartilhada. Saudade de morar na casa da mãe, sem muitas responsabilidades e com a agenda contendo os seguintes compromissos:

- dormir no vô
- passar na Kati
- ir na casa da Ju
- ir para o centro com a Kati
- encontrar a Ju para tomar um sorvete
- levar o Bernardo no vô
- jogar baralho com a vó
- cursinho
- mãe da Ju fez sobremesa e terere - ir dormir na casa da Ju
- tem mousse de limão na Kati - pegar a Ju e ir dormir na Kati

Sei que nossas vidas tomaram rumos diferentes, que talvez nem estavam em nossos planos ou que não imaginávamos que iam nos distanciar tanto. Às vezes me sinto longe demais, perdida do meio do caminho, como se a amizade de vocês já tivesse passado por mim há tempos e eu nem vi.
Sinto falta das manhãs, das tardes e das noites... dos dias em que estive ao lado de vocês. Não sei em que parte do caminho nossa amizade se perdeu. Se perdeu nos lados, nos cantos, por dentro dela mesma... mas queria que soubessem o quanto as amo, o quanto sinto falta e que só enquanto eu respirar, vou me lembrar de vocês.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Things have gotten closer to the sun.


Ultimamente ando me sentindo mais calma, mais em paz comigo mesmo, mas tranquila... acho que talvez esteja achando meu caminho, meu verdadeiro eu. Quando vim morar em Curitiba, ainda não tinha traçado planos, nem se quer sabia se tinha um sonho. Ainda continuo uma pessoa meio perdida em sonhos, ainda sinto como se faltasse alguma coisa na qual me segurar, me apegar; mas hoje posso dizer que sei o que eu quero, onde e como quero chegar. Conheço mais essa Andressa que mora aqui dentro e, apesar de algumas vezes me decepcionar, fico feliz de ter chegado a tais conclusões sobre mim mesma.
Hoje a minha vida anda mais colorida, menos rancorosa, menos culpada e dolorida. Sei que preciso mudar em muitas coisas ainda, assim... conseguir fazer diferente. Sei que preciso aprender a ser mais má, sei que preciso aprender que existem pessoas ruins nesse mundo - elas existem, Andressa. Por isso seja mais crítica e mais chata com tais coisas.
Sei bem o que me irrita, o que não gosto ou o que gostaria de fazer. Sei o quanto gostaria de morar em um chalé de janelas brancas e nos fundos, cair para a praia. Sei o quanto gostaria de ter uma cozinha grande e ensolarada, com muitas janelas, para que eu possa fazer várias receitas. Sei que quero ter um casalzinho, cabeludinhos e delicados. Sei que quero me casar. Sei o quanto amor é diferente de paixão. Sei o quanto confuso é deixar de se apaixonar e descobrir o quão grande é o amor, que até agora você não sentia direito. Sei que gosto de músicas calmas, de roupas claras e de tranças (pra quem me conheceu há 5 anos atrás sabe o quanto isso é importante). Sei que não adianta querer mudar, tentar diferente, eu realmente não gosto de rosa com strass. 
Talvez tudo isso que eu estou descobrindo agora, esteja voltando atrás e mostrando quem sou eu realmente. Quando eu era criança, todo mundo comentava do quão querida e amorosa eu era; com o passar dos anos, fui me transformando em uma pessoa rancorosa, fechada, agoniada, ansiosa... me vestia de preto dos pés à cabeça, ouvia músicas pesadas, odiava muita gente e as julgava também. Perdi todas as vontades e sonhos. Enfim, me perdi. Me perdi de tudo o que antes conhecia como eu. 
Morando sozinha fui descobrindo algumas coisas não entendidas aqui dentro. Sei que ter um amor me ajudou muito com isso. Me ajudou pois precisava me esforçar para ser carinhosa e cuidar como deve ser cuidado, precisava e ainda preciso. Preciso fazer com que ele saiba o quanto é importante pra mim e o quanto o amo. O quanto não passa pela minha cabeça ve-lo indo embora e sendo de outro alguém. Seus beijos, seus abraços... preciso deles, só pra mim. Amar é algo que, realmente, não é parecido com nenhum outro sentimento. Amar nos transforma em pessoas melhores. Estou melhor agora. Estou mais limpa, mais feliz, amando e sendo amada. 
E sempre agradecendo a Deus por tudo. Consciente de que preciso melhorar em muitas coisas ainda, mas calma, tudo ao seu tempo... nada muda de um dia para outro, não é?!

Eu não preciso mais sair
O que eu tenho está bem aqui
Já passei minhas noites e meus dias
Buscando o mundo para o que está bem aqui
Por baixo e inexploradas
Ilhas e cidades que eu olhei
Aqui eu vi
Algo que eu não podia olhar sem cuidado
Eu sou seu agora
Então agora eu não nunca terei que partir
Fui descoberto


sábado, 18 de junho de 2011

1:30 da manhã e eu estou fazendo...


QUESTIONÁRIO! :D

1. Signo?
Leão


2. Data de Nascimento?
10/08/1990


3. Cor de olhos? 
Castanhos


4. Altura? 
1.55m, de bolso


5. Comprometida ou solteira? 
Comprometida


6. Qual é o teu nome do meio? 
Sou sem graça, não tenho nome do meio :/ haha


7. Se fosses arrastada para uma guerra, sobreviverias? 
Tenho medo de ter medo. Respondido?


8. Qual é a tua cor ou cores preferidas ? 
Roxo, branco, vermelho, cinza, preto.


9. Dormes com a tv ligada? 
Não.


10. Consegues escrever rápido no computador? 
Anos de prática.


11. Quando foi a última vez que escolheste um duche em vez de um banho de imersão? 
Só tomo banho de ducha, banheira só quando passo as férias na casa da mãe e lembro que a banheira foi colocada no meu quarto assim que eu vim embora. SNIF!


12. Com quem é que tu sabes que podes sempre contar? 
Mamãe, vovô.


13. Estás a beber alguma coisa neste momento?
Não (estou com muita sede, por sinal).


14. Falas enquanto dormes? 
Não, que eu saiba.


15. Qual é a foto que tens no fundo do ambiente de trabalho? 
Céuzinho roxinho gayzinho, do macbook haha


16. Tens o sono profundo? 
Não.

17. As outras pessoas acham-te atraente? 

Mantenho a esperança de que pelo menos o meu namorado ainda ache. 


18. Sentes saudades de alguém neste momento? 
Sim, muita.


19. Quando foi a última vez que disseste a alguém que o amavas e realmente sentias? 
Sinto, mas não falo?


20. Qual foi o último desporto que praticaste? 
Esporte? Hãn?


21. Como te sentes hoje? 
Pula! - Acho que teria dias melhores para esta pergunta, com certeza.



22. Quem foi a última pessoa com quem partilhaste a cama? 
Caroll Remer - NOW! hahahaha


23. Alguma vez foste surpreendida por alguém? 

Hm... falhando a memória.


24. Alguma vez surpreendeste alguém? 
Espero que sim... não sei.



25. Qual é a pior coisa no sexo oposto?
Pode listar?




26. O que está no fundo do teu guarda-roupa? 
Perfumes.


27. Qual foi a última coisa que tiveste na tua boca?
Sopa de arroz e fanta laranja.


28. Qual é a tua filosofia de vida? 
Abraça a tua loucura antes que seja tarde demais.

29. Com o que é que estás ansiosa? 
Eu? Ansiosa? Imagina!


30. Alguma vez trepaste para uma janela? 
Trepaste? hahaha ok, sem malícia... quando eu era criança, morava numa casa de janelas grandes ˆ.ˆ


31. Que três coisas te levam sempre a sítios? 
Sítio, em português, é site? Se for... blogs, livros, comida, filmes, estudos.

32. Tens uma queda por alguém? 
Sim.

33. Quão frequentemente falas ao telefone? 
Evito sempre que posso.


34. O que fazes quando ninguém está a ver? 
Falo sozinha ou fico olhando para o nada. (Caroll diz: você não precisa fumar maconha, realmente - hauhauahauha)


35. Há algo que queiras e não possas ter? 
Resposta momentanea: PORRA! Sim, tem muita coisa que eu queria.


36. Três coisas que reparas de imediato no sexo oposto?
Sorriso, mãos e nuca.

37. Onde está o teu telemóvel? 
WTF? 


38. Qual foi a última bebida alcoólica que bebeste? 
Smirnoff Ice com champanhe de morango.


39. Qual é a tua bebida favorita? 
Água.


40. Qual foi o último filme que foste ver ao cinema? 
Piratas do Caribe 4


41. Que música estás a ouvir? 
Toque do celular da Caroll. Nem irei me aventurar a escrever o nome aqui haha =P


42. Quem foi a última pessoa com quem falaste? 
Com o assaltante. Mentira, foi com a Caroll.

43. Usas que champô? 
L'oréal laranjinha e pantene verde... (?)


44. Mais velha, do meio, mais nova ou simplesmente uma criança?
17 anos mais velha.


45. Quem admiras? 
Minha mãe e meu vô. Lindos S2


46. O que te faz mais feliz? 
A risada dos meus irmãos pelo telefone. Ficar alguns segundos sem dor nas costas. Cozinhar. Ganhar um livro novo. Meu namorado.


47. O que é que odeias? 
Meus problemas de saúde. Cada um na sua intensidade S2


48. O teu homem é perfeito? 
Johnny Depp, Brad Pitt, Dave Grohl, Caio Castro, Brandon Boyd... junta tudo e me dá auhaua. Meu namorado é perfeito nos meus defeitos, amo.


49. Se pudesses mudar uma coisa em ti, o que mudarias?
Queria ser mais alta e com menos problemas de saúde.


50. O melhor tipo de festa? 
Aquele show de rock, com meus amigos e cerveja.


51. O que te vês a fazer daqui a 10 anos?
RYCA! LINDÃ! CHIQUE!

52. Bebida alcoólica? 
Caipirinha.


53. Shot? 
Tequila.


54. Aftershave/Perfume? 
Tenho vários perfumes. Gosto dos doces, tipo Hypnotic Poison, Dior; e Egeo Choc, Boticário.


55. Filme? 
Tenho uma lista gigantesca.


56. Sítio? 
http://flavors.me/andielinhares

57. Número? 
8


58. Mês? 
Março... não sei porque.


59. Gelado? 
Frutilly.


60. Dia do ano? 
Ano novo.


61. Flor?
Orquídeas, tulipas e rosas amarelas/vermelhas.


62. Já alguma vez fizeste um papagaio voar? 
Hãn? ahuahuah não...


63. Alguma vez comeste um cachorro quente? 
Como demais. Hoje comi, inclusive.


64. Alguma vez bebeste leite do pacote? 
Não, não gosto do gosto e do cheiro do leite.


65. Alguma vez ganhaste um concurso de soletrar? 
Hã... não.


66. Alguma vez estiveste na casa de banho do sexo oposto? 
Já.


67. Já sonhaste com alguém que não gostas? 
Tenho pesadelos frequentemente...


68. Já alguma vez amaste alguém de verdade? 
Sim, no momento.


69. Alguma vez partiste um osso? 
Sou toda fodida, mas nunca me quebrei :)


70. Alguma vez cantaste num palco? 
Gostava de ir no karaokê com a galeris da faculdade :)))


71. Alguma vez caíste duma cadeira? 
Já.


72. Alguma vez ficaste com a língua colada a um gelo?
Não.


73. Alguma vez fizeste bungee jumping? 
Posso deixar a coluna antes de pular?


74. Alguma vez saltaste de uma rocha? 
Não, pelo mesmo motivo acima.


75. Alguma vez flashaste alguém? 
WTF? (2)


76. Alguma vez choraste pra te safares de sarilhos? 
WTF? (3)


77. Alguma vez jogaste strip poker? 
Não.


78. Beijaste alguém que não conhecias? 
Sim.


79. Estiveste perto de morrer? 
Hoje me deu um frio na espinha, mas nunca cheguei tão perto da morte. 


80. Nadaste no oceano? 
Já.


81. Alguma vez levaste pontos? 
Tenho mais pontos do que pele. Exagerei hahaha já levei vários :P


82. Alguma vez foste hospitalizada? 
Internação é comigo mesma! :)


83. Dia ou noite? 
Noite


84. Sol ou chuva? 
Depende, e muito, do meu humor.


85. Dormes com algum peluche? 
Pinguin.


86. A tua posse que mais prezas? 
Amizade.


87. Danças bem? 
Eu e a Carla Perez.

88. Já alguém, para além da tua família, te disse que te amava? 
Já.


89. Quantos piercings tens? 
Dois.


90. Diz o nome de 5 coisas que estejas a usar: 
Meias, calça jeans, esmalte roxo, anel e absorvente - ahuahuahuah fail.


91. Alguma tatuagem? 
Duas.


92. Que tipo de bêbeda és tu? 
Tri chinelão... "preciso de 6 conto pra comprar mais um chopp... me empresta?"


93. Gostas de ti? 
Ultimamente ando meio frustrada com essa Andressa.


94. Beijos ou abraços? 
Abraços.


95. A última pessoa que abraçaste?
Caroll, me acalmando haha


96. A última coisa que compraste? 
Um sofá cinza! (IÉ)


97. A última pessoa que te mandou uma sms?
Namorado.


98. A última vez que tomaste banho?
Hoze mesmo.


99. És demasiado tímida pra convidar alguém pra sair? 
Faz tanto tempo que não faço isso, que nem lembro. Mas devo ser haha


100. O que estás a pensar? 
Nos 5 caras me cercando hoje. 

101. A melhor maneira para que alguém saiba que gostas dela é...? 
Demonstrar. 

102. Tu sabes que eu gosto de ti, se...? 
Você demonstra.


103. Gostas de chocolate? 
Mucho.

104. Quanto dinheiro tens? 
- (risada)...


105. Onde te queres casar? 
Na igreja (sou antiga).


106. Falas alguma língua para além da materna? 
Inglês. E yo me viro bién hablando espanol... hauhaa mentira.


107. O que queres ser na vida? 
Ando numa fase de descoberta de Andressas. Quando eu souber esta resposta, estarei completa.


108. Preferias morrer queimada ou afogada? 
Que tipo de pergunta é essa? hahaha


109. Preferes dar ou receber uma massagem?
Receber.


110. Há algum rapaz no teu circulo de amigos? 
90% são homens


111. Beijaste alguém no teu círculo de amigos? 
Já.


112. Guardas rancor? 
Vou morrer de câncer por isso.


113. Com quantas pessoas do teu círculo de amigos já estiveste bêbeda?
Todas, praticamente.