quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

livros, livros, livros...


Bom, ando descobrindo minha paixão cada vez maior por livros. Livro de todo o tipo. Às vezes, nem conheço a estória, mas a capa me apaixona profundamente, e ai, leio aquele livro com a maior vontade. Comigo é assim, a capa é muito importante! Livros de capa feia são deveramente tristes. Acabam deixando o livro não tão saboroso quanto ele deveria ser. Quanto mais bonito e mais grosso, melhor.
Fiz uma lista dos livros que quero ler nesse primeiro semestre do ano. Livros que ainda não estão na minha estante, tenho que comprá-los. Ao total deu 25 livros, todos diferentes. Lá em casa, no meu cantinho dos livros, tenho 5 para ler ainda. 2 pela metade.
Minha maior felicidade anda sendo promoções de livros. Como esses dias, em que comprei 4 livros por R$20,00. Pois é, muita felicidade! São uns livros mais antigos, na ponta de estoque... mas adivinha? As capas... ah, as capas... são lindas! Dois deles falam sobre a década de 50 (sou apaixonada por essa época). Um não é exatamente sobre a época, mas tem uma pitada de Beatles... ai, pronto, gostei.
Quanto mais triste e romântico o livro for, mais eu gosto. Perco horas lendo, chorando, me imaginando... quando acaba, é uma tristeza, parece que eu fazia parte daquele mundo meio mágico em que o final é sempre feliz.
Uma coleção que fez eu mais me sentir presa e triste com o fim, foi Crepúsculo. Sim, sim... eu sei... maior menininha 14 anos impossível. Os filmes são meio nhénhénhé - tem muito açúcar no meu café; Mas a estória te prende demais (posso falar assim porque nem comer eu comia direito).
Agora descobri o Nicholas Sparks... lágrimas e depressão na certa!! Vi que não posso o ler em dias chuvosos, principalmente se for final de semana. Da uma tristeza geral assim. Mas não consigo, né? As estórias são lindas, apaixonantes, dramáticas... daquelas que sempre fica aquela coisa: "será que eles vão ficar juntos?", o problema é que sempre, sempre, tem uma tragédia. Ai as lágrimas tomam conta.
Enfim, meta na minha vida: uma biblioteca em casa. Quero, muito. Pode até ser pequena, mas quero. O namorado pode pegar emprestado os livros que tem lá na Fnac, mas não é a mesma coisa. Eu gosto mesmo é de ter o livro. Meu. Assim fica melhor.







E coisa que eu odeio é gente que pega teu livro emprestado e o devolve numa tristeza sem fim... todo marcado, sujo, rasgadinho e com cara de quem ficou guardado por muito tempo. Odeio isso, de verdade! É como emprestar teu melhor cd e ele voltar riscado na sua música preferida. Ou como emprestar teu vestido lindo e ele voltar com uma marca do ferro quente. Ai, que agonia!
Não sei o porque desse post sem fundamento, talvez porque quando eu olho pela janela, vejo que anda caindo muita chuva e lembro que não trouxe casaco, queria profundamente estar em casa, com algum daqueles livros pela metade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário