domingo, 17 de abril de 2011

né.

Força redobrada
Marte em trigono com Sol natal
Energização pessoal, Andressa! Neste período, que vai de 17/04 (hoje) às 19h01 até 02/05 às 3h47, o planeta Marte estará entrando em harmonia com o seu Sol pessoal, intensificando o uso da sua força de vontade, o que lhe possibilita lutar mais pelas coisas que você deseja, organizando suas capacidades, habilidades e recursos com o fito de atingir objetivos específicos. 

A vitalidade está favorecida neste momento, e inclusive é favorável que você pratique esportes nesta fase, aproveite o pique para dar movimento à sua vida. 

A qualidade guerreira de Marte se harmoniza positivamente com a sua vontade solar, de modo que este é um período bom para lutar pelas coisas que deseja. A saúde entra num ciclo reativo positivo, e este pode ser um bom momento para tomar atitudes que ajudem seu corpo a melhorar naquilo que precisa ser melhorado. 

A idéia para o momento, Andressa, pode ser sintetizada da seguinte maneira: esta é a hora certa para imprimir velocidade ao que você deseja. As coisas parecerão estar se resolvendo com mais facilidade, mas na verdade é você quem estará numa fase mais objetiva da vontade.

Vale dizer, Andressa, que entre os dias 30/04 e 02/05, o Sol em trânsito estará aumentando ainda mais esta qualidade dinâmica e vital deste seu momento. Você provavelmente sentirá um gás maior do que o normal para lutar pelas coisas que deseja. Que seja bem vinda esta força, aproveite-a!

sábado, 16 de abril de 2011

e a noite vem, sendo o descanso do sol.






Tá certo que o nosso mau jeito foi vital pra dispersar o nosso bom, o nosso som pausou. E por tanta exposição a disposição cansou, secou da fonte da paciência e nossa excelência ficou lá fora. Solução é a solidão de nós. Deixe eu me livrar das minhas marcas, deixe eu me lembrar de criar asas. Deixa que esse verão eu faço só. Deixa que esse verão eu faço só. Deixa que nesse verão eu faço sol. Só me resta agora acreditar que esse encontro que se deu, não nos traduziu melhor. A conta da saudade quem é que paga? Já que estamos brigados de nada, já que estamos fincados em dor. Lembra o que valeu a pena? Foi nossa cena não ter pressa pra passar.



Joga a trança, busca o chão e não o céu. Qual barquinho de papel sonha ir de encontro ao mar?

quinta-feira, 14 de abril de 2011

toquerendoum...

Uma conversa comigo mesma.

- Hei, mas um dia "daqueles"?
- É, pois é... novidade?
- Não, nenhuma. Muito pelo contrário...
- Uhum...
- Pra falar a verdade, não sei como você aguenta.
- (suspiro)
- Eu sei, você vai dizer toda aquela parada de amor... eu sei...
- Não, já nem uso mais essa desculpa.
- Mas eu sinto ela aqui. Como pode dizer que não usa?
- É, pode ser.
- Tá doendo, né?
- Muito.
- Eu sei.
- Também não sei como aguento.
- Do que é que você tem medo?
- Não sei, talvez de acordar e não ver ele aqui.
- Entendo...
- E de não ouvir a voz dele pela casa.
- Sim...
- E de não brigar mais com ele, pra guardar suas roupas.
- É...
- E de não sentir ele do meu lado, enquanto eu durmo.
- Normal.
- Normal?
- Sim, normal.
- É isso que faz tantas pessoas aguentarem coisas que não deveriam?
- Provavelmente.
- Entendo. Odeio ele pelo computador.
- Não odeia, essa palavra é forte.
- Não, eu o odeio, sim. Com todas as palavras, ele no computador, eu O D E I O.
- Mas é o mesmo cara que entra em casa todas as noites.
- Não, não é...
- É sim.
- O cara que entra em casa todas as noites, não é tão machão e não me trata tão mal.
- Será?
- É, gostaria de ver ele falar tudo aquilo pra mim, na minha cara. Sei que não faz.
- Machuca, né?
- Demais. Odeio.
- Não quer mais esperar ele voltar?
- Não sei. Talvez seja o mesmo cara, sim. Talvez, por estar longe e não estar olhando na minha cara, ele mostra como é de verdade.
- Isso que falo. Aliás, é isso que ele disse: sou igual.
- Por que não vejo assim?
- Porque, Andressa, você vive em um mundo de fantasias.
- Eu sei disso.
- Está na hora de encarar a realidade.
- Mas dói.
- Vai doer mais depois.
- Eu sei.
- Mas, e ai??
- (silêncio).






"De repente toda mágica se acabou e na nossa casinha apertada, tá faltando graça e tá sobrando espaço. To sobrando num sobrado sem ventilador. Vai dizer, que nossas preces não alcançaram o céu? Coração, que ainda vem me perguntar o que conteceu. Contece seu rosto por acaso ainda tem o gosto meu."

quarta-feira, 13 de abril de 2011

2.



Hoje é dia 13 de abril. Hoje tá completando 2 anos que namoramos. Hoje estamos longe. Hoje mal nos falamos. Hoje está até parecendo um dia qualquer. Mas estamos completando 2 anos.

2 anos. 24 meses.

Te amo.


Oh, darling.
Please believe me.
I'll never do you no harm.
Believe me when I tell you,
I'll never do you no harm.

Oh, darling.
If you leave me,
I'll never make it alone.
Believe me when I beg you,
Don't ever leave me alone.

When you told me
You didn't need me anymore,
Well, you know, I nearly
Broke down and cried.
When you told me
You didn't need me anymore,
Well, you know, I nearly
Broke down and died

terça-feira, 12 de abril de 2011

um sol com a cabeça na lua.



Quando começar o frio, dentro de nós
tudo em volta parece tão quieto
tudo em volta não parece perto
toda volta parece o mais certo
certo é estar perto sem estar
perto de você, sou tão perto de você, sou tão perto de você


Quando o tempo não passar, dentro de nós

cada hora é como uma semana
cada novo alô é mais bacana
cada carta que eu nunca recebo
é sempre um motivo pra lembrar
sou tão perto de você 



Vida amarga, como é doce a dor da palavra dita de tão longe, dita de tão longe, dita de tão longe...


Quando alguém se machuca, dentro de nós

toda culpa parece resposta
nossa busca não parece nossa
nosso dia já não tem mais festa
não tem pressa nem onde chegar
sou tão perto de você


Quando a paz se anunciar, dentro de nós

é porque aquilo que nos cega, mostra um outro lado da moeda
que não apaga as coisas do meu peito
o jeito é me fazer acreditar
sou tão perto de você
certo de você


Vida amarga, como é doce a dor da palavra dita de tão longe, dita de tão longe, dita de tão longe


Quando a música acabar, dentro de nós...

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Damm!



Nossa, tô cansada. Cansadona assim! Passei o dia estudando. Tenho tanta coisa pra fazer e ler que parece que não vai dar tempo de fazer tudo. To cansada psicológicamente e fisicamente. Minhas costas doem. Mal comecei a estudar e já to assim, que nem essa guriazinha ai da foto... ronc! Tenho fome, mas não vontade de comer. Tenho sono, mas não consigo dormir... 
E to sozinha ainda. Na real, até que to gostando de ficar sozinha. Faço tudo ao meu tempo, durmo a hora que quiser e vejo o programa que eu quero na tv. To conseguindo me concentrar mais nos livros. Mas só aceito por mais uns diazinhos, já tá dando bad de ser forever alone.

domingo, 10 de abril de 2011

Mas e ai...


Então que hoje, sábado, dia 09 (eu sei que já é domingo, mas eu ainda não dormi, então é sábado), está completando 1 ano de apzinho aqui. Quantas coisas aconteceram, hein? O suficiente pra achar que a vida é difícil mesmo. Mas nem desanimo, né? Nunca tive talento para relacionamentos mesmo. Quanto menos para ficar sozinha. Então, enquanto eu achar que dá, eu vou levando. Porque é assim que tem que ser, entende? Uma hora eu até posso parar e enxergar que não dá mais. E talvez eu possa até me arrepender daquele tempo e blablabla, juventude, aquele papo cabeça dos 20 anos. Mas mesmo assim, eu vou estar sabendo que fiz o que eu queria naquela hora, vivi só o momento e a vontade que nele permanecia.. só. E ai, virão as amigas e a mãe com aquele outro papo cabeça dizendo: "o que é importante?" Importante é saber que se você desistir de tal coisa, vai sofrer o dobro, com a falta, do que tu sofre agora, pela famosa falta de talento. Eu sei que talvez nada vai mudar. Aliás, nada muda. Nos fazemos promessas para nós mesmos de que as coisas irão mudar. Mas eu sei que é só ficarmos longe um do outro, por uns diazinhos, que a realidade aparece. E aparece rápido demais. Te pega até de surpresa. E ai, vem a famosa frase: "nada muda, nunca vai mudar. To de saco cheio dessa porra!" To de saco cheio dessa porra - frase que faz tu ficar por horas olhando para a tela do seu computador, sem pensar em mais nada a não ser nas palavras - saco - cheio - dessa - porra. Mas e ai, que tu vai dormir meio que chorando a porra da noite toda. Mas e ai, que tu esquece e manda msg, porque tu sente uma fucking necessidade incontrolável de falar com ele. Mas e ai, que tu meio que esquece do que leu. Mas e ai, que tu sente aquela pontadinha ao lembrar que hoje talvez, era pra ele estar voltando. E mesmo sabendo o porque ele não está aqui, a pontadinha continua. Ai, você senta no chão e tenta entender o porque a merda da pontadinha não sai. Ai você lembra da frase do saco cheio e do quão estranho ele está. Ou nem está, você só o julga estar, pela pontadinha que insiste em não passar. Enfim, ai a pontadinha persiste e você se toca de que talvez, ele nem possa voltar. E por mais que ele tenha falado que vai, o teu sexto sentido nem sempre te engana, porque já faz um certo tempo que você o sente. Ai você reza para que, dessa vez, ele erre. Erre bem feio. E você possa dormir tranquila. E que, principalmente, quando ele fala: "to aqui não sei onde, fazendo não sei o que, com não sei qual amigo", você pensa: "ah, tudo bem... ele tá lá com um amigo." Mulher é uma porra, né? Uma coisa triste. Uma vez que tu brinca com a confiança dela, já era. É algo que uma hora perde o gosto e ai, você terá que deixar meio que na inércia e cuidar para que ele não estrague, esperando ansioso pra que volte a ter gosto e você possa usufruir de todas as coisas boas que ele te dá. Mas ai, que essa confiança perdeu o gosto... e quando ele fala: "to aqui com um amigo, que era nhenhenhe com aquela mina que até então, pra vc, era só minha amiguinha." Ai... mano, tu tem vontade de dormir e acordar só no outro dia... tipo pra não ver, saca?
Olha, minha confiança pra perder o gosto por completo, tem que levar no meio da fuça mesmo, enquanto ele só errar na pontaria, ela só perde um pouco do gosto. Se isso é bom ou é ruim, eu nem sei. Só sei que sou assim e pronto. E ai, tu pensa: "ta dando várias merdas no meu corpo agora, porque aquele merda, fez merda." É que mulher fica puta da cara mesmo, né meu amigo? E ai, que quando você ve que tá sangrando sem estar menstruada, tem insônia e manchas pelo corpo, você pensa: "ele não merece todos esses sintomas vindo de mim. Muito menos, eu sentir tudo isso, por ele." Mas ai, filho, senta e espera passar, porque você sabe que o ama e que vai o esperar voltar lindamente de suas férias e te ver aqui, morrendo de saudade e pronta pra enfrentar mais um ano, em outro apto. Um ano talvez cheio de levada nas fuça, mas se é isso que tu quer, assim será. 
To aqui, no sábado à noite, às 2h05 da manhã, sozinha, ouvindo Janis Joplin, com dor, sangramento e sentindo aquela fucking necessidade de ligar e conversar com ele. Contar como foi meu dia, como eu me senti com aquilo e com isso. Mas ao mesmo tempo, nem consigo pegar o telefone e discar o número dele até o fim. E ah, com saudade, com muita saudade... e esperando ansiosamente que ele volte. 

Eu não te fiz sentir como se você fosse o único homem? Sim! 
Eu não te dei quase tudo que uma mulher possivelmente possa dar? 
Docura, você sabe que sim! 
E a cada vez digo a mim mesma que eu, bem, acho que tive o bastante. 
Mas eu vou te mostrar, baby, que uma mulher pode ser "durona". 


Eu quero que você venha, venha, venha, venha e leve-o, 

Leve-o! 
Leve outro pedacinho do meu coração agora, baby! 
Oh, oh, quebre-o! 
Quebre outro pedacinho do meu coração agora, querido, sim, sim, sim. 
Oh, oh, possua um! 
Possua outro pedacinho do meu coração agora, baby, 
Você sabe que pode, se isso te faz sentir-se bem, 
Oh, sim, realmente. 



Você está fora, nas ruas, parecendo bem, 

E baby, bem dentro do seu coração, eu acho que você sabe que isso não é correto. 
Nunca, nunca, nunca, nunca, nunca me ouve quando eu choro à noite, 
Babe, eu choro o tempo todo! 
E a cada vez digo a mim mesma que eu, bem, não consigo suportar a dor. 
Mas quando você me segurar em seus braços, vou cantar mais uma vez. 



Vou dizer: venha, venha, venha, venha e leve-o! 

Leve-o! 
Leve outro pedacinho do meu coração agora, baby! 
Oh, oh, quebre-o! 
Quebre outro pedacinho do meu coração agora, querido, sim. 
Oh, oh, possua um! 
Possua outro pedacinho do meu coração agora, baby, 
Você sabe que pode, criança, se isso te faz sentir-se bem. 



Eu preciso que você venha, venha, venha, venha e leve-o! 

Leve-o! 
Leve outro pedacinho do meu coração agora, baby!
Oh, oh, quebre-o! 
Quebre outro pedacinho do meu coração, agora querido, 
sim, venha agora. 
Oh, oh, possua um! 
Possua outro pedacinho do meu coração agora, baby, 
Você sabe que pode! 



Leve-o! 

Leve-o! 
Leve outro pedacinho do meu coração agora, baby! 
Oh, oh, quebre-o! 
Quebre outro pedacinho do meu coração 
agora, querido, sim, sim, sim, sim... 
Oh, oh, possua um! 
Possua outro pedacinho do meu coração agora, baby, ei, 
Você sabe que pode, criança, se isso te faz sentir-se bem.

Ah Janis, nem eu descreveria tão bem esse sentimento que está andando aqui comigo a uns dias...


sexta-feira, 8 de abril de 2011

No mais estou vivendo normalmente.

Aquele menino e eu, me beijou na chuva, no meio da cidade de São Paulo, apareceu pela manhã em plena 25 de março. Se eu soubesse que ele dorme o dia todo, teria desacreditado mais ainda. Me beijou de novo, sentados em uma loja de fogões. Beijo doce, calmo, aveludado. Quando a mãe perguntou: "e ai, ele era tudo o que você esperava?", eu falei: "Não sei... só sei que eu preciso o ver novamente”.
Então eu vim e ele veio, nos encontramos no meio do caminho. Dei um oi envergonhado, um oi matinal, uma cara matinal, um beijo matinal... recém saído do ônibus, fresquinho. Ele já estava lá, me esperando com o seu moletom verde. "Ele é lindo, nada ver comigo" - pensei. Quando ficamos sozinhos eu o agarrei, eu precisava dele, eu queria ele mais do que quis qualquer outra pessoa no mundo! Passamos o final de semana inteiro juntos, mas não foi o suficiente pra mim, eu queria ele amanhã e depois também. Então ele ficou e eu cantei Wonderwall, abraçada nele... “Because maybe, you're gonna be the one that saves me. And after all you're my wonderwall”.Eu olhava para os lados e via aquela multidão de pessoas, mas quem eu queria estava ali, atrás de mim, me abraçando... não parecia ser real. Viemos embora, assim que entrei no ônibus segurei o choro e pensei: "sim, ele é tudo que eu esperava e eu só sei que preciso o ver novamente.”
Então eu fui, passei uma semana na casa dele, ao lado dele, dormindo e acordando com ele... ai sim, eu não o larguei mais.
Agora já se passam 2 anos e eu revejo o mesmo filme, na mesma situação, no mesmo roteiro, no mesmo diálogo... o mesmo plot. Sem conseguir dormir, uma msg não respondida, pesadelo, dor no coração e um choro que durou até pela manhã.

Uh, baby! Por que você foi pra tão longe?
Não precisava tanto
Bastava só não telefonar...
Uh, baby, baby, baby, baby o que aconteceu?
O ar não foi suficiente?
Você não viu, você sumiu, mudou de lugar
No mais estou vivendo normalmente
Não vou ficar pensando: se tivesse sido o contrário?
Eu estou feliz, mesmo sozinho
Esse silêncio é paz, nesse momento cai uma forte chuva
Quem vai ficar chorando?
Uh, baby! Sabe do que eu sinto saudades?
Do seu sorriso de manhã e do quarto tão desarrumado
Uh, baby! Saiba que eu gosto muito de você!

Já faz uma semana que ele foi apenas para tirar férias. Faz uma semana em que eu tive um sonho ruim. Faz uma semana que eu andei no carro dele e pensei: "que sensação estranha". Faz uma semana que ele me deu um beijo pra ir passar uns dias em casa e eu pensei: "que sensação é essa? ele vai voltar daqui uns dias.". Faz uma semana que eu subi pro apto das meninas com lágrimas nos olhos, sem saber ao certo o porque. Faz uma semana que eu esto com saudade. Faz 3 dias que me decepcionei demais. Faz 1 dia que sei que ele não vai mais voltar. Volta.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

lucky man



Felicidade
Mais ou menos
É só uma mudança em mim
Algo em minha liberdade
Oh minha mente
Felicidade
Indo e vindo
Eu vejo você olhar para mim
Veja minha febre aumentar
Eu sei exatamente onde estou

Mas,ainda quantas esquinas eu tenho que virar
Quantas vezes tenho que aprender
Todo o amor que tenho está dentro de mim

Bem,eu sou um homem de sorte
Com fogo em minhas mãos

Felicidade
Algo em minha própria casa
Estou ficando nu
Sorrindo, eu não sinto vergonha alguma
Com quem eu estou

felicidade
indo e vindo
eu te vejo olhando pra mim
veja minha febre aumentar
E eu sei quem eu sou

Mas,ainda quantas esquinas eu tenho que virar
Quantas vezes tenho que aprender
Todo o amor que tenho está dentro de mim

Eu espero que você entenda
Eu espero que você entenda

Voce ganhou um amor que nunca morrerá

Felicidade
Mais ou menos
É só uma mudança em mim
Algo em minha liberdade
Felicidade
Indo e vindo
Eu vejo você olhar para mim
Veja minha febre aumentar
Eu sei
oh minha mente
oh minha mente
oh minha mente
oh minha mente

Começou a amar o que nunca morrerá
Começou a amar o que nunca morrerá
Não,não
Eu sou um homem de sorte

É só uma mudança em mim
Algo em minha liberdade
É só uma mudança em mim
Algo em minha liberdade
É só uma mudança em mim
Algo em minha liberdade
oh minha mente
oh minha mente
É só uma mudança em mim
Algo em minha liberdade
oh minha mente
oh minha mente




é que dói um pouquinho... fazer o que.

o trabalho dos 5 pontos.



Estou feliz hoje. Sei que poderia aproveitar essa felicidade por completo, mas não se apaga nada do dia pra noite, né? 

Nota máxima... iei!

terça-feira, 5 de abril de 2011

for the hearts you break...

You're the same...numb
When you sing it's over

Such a strange numb
It could bring back peace to the earth

So God bless you all
For the song you saved us...oh...
For the hearts you break, everytime you moan...

I get all...numb
We're the same numb
And it brings our knees to the earth

So God bless you all
For the song you saved us..oh...
For the hearts you break, everytime you moan
And God bless you all on the earth...