quinta-feira, 26 de maio de 2011

Lole.


Quando a nossa dor é muito grande, parece que nenhuma outra pessoa no mundo deve ficar feliz. Ontem, quando eu estava chorando sozinha, no escuro do quarto, passaram umas pessoas na rua rindo alto e eu tive aquela sensação de: "como vocês conseguem ficar feliz numa hora dessas?". Sei que perdemos muitas pessoas nesse mundo todo dia, mas como dói quando essa pessoa que é tirada, é alguém querido por você. 
Sei que já fazia algum tempo que não a via mais, que não participava mais da sua vida, mas durante um bom tempo ela foi uma pessoa muito importante para mim. Não consigo fechar meus olhos, que lembro da sua imagem. Agora me resta ficar com as lembranças. Lembrança de jogar baralho com ela, lembrança da praia de Ingleses, lembrança de quando ela levanta tão tarde da madrugada, para me levar para casa, lembrança dela lá na tv, há alguns anos atrás, nervosa porque seus filhos faziam bagunça com a sopa de agnoline, lembrança das jantas, lembrança dos documentários de geografia, lembrança da sua risada, lembrança das suas histórias, lembrança de suas reclamações com a turma da sétima série... tem tantas lembranças que irei levar comigo para sempre! Foi com você que aprendi a gostar de flores, agora você é minha lembrança de flores amarelas... loirinhas e branquinhas, assim como você. 
Hei, obrigada por ser uma amiga tão especial para mim e me desculpa por nunca ter ido tomar o café com você. Me perdoa? Me perdoa por estar longe e não ir poder me despedir de você? Sei que sim. E ai, iria dar uma daquelas suas risadas e falar: "entra aqui, antes que o vento te leve".


Fica com Deus, Lorena.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Luto.

Lorena, dona do sorriso tão cativante. Quando a conheci ainda era muito nova, mas senti nela um abrigo. Pode ser que ela nem soubesse o quanto a gostava, mas sempre vi nela uma pessoa cheia de luz. Foi minha sogra durante 3 anos e depois não a vi mais, só uma rapida passagem, ela sempre sorridente e com seus cabelos loiros. Ficou na promessa aquele chá da tarde, ficou na promessa a passada ai na sua casa pra lhe contar as novidades da minha vida...

vai com Deus, dona do sorriso bonito.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Paixão.


Ontem fui jantar na pizzaria Aprimorata - http://www.aprimorata.com.br/ - com meus amigos Caroll e Diogo e com o Ricardo. A pizza é um tanto salgada no preço (R$ 60,00) mas só no preço, ela é muito gostosa! E leve, super leve. Aquela que você come e nem vê, sabe? Sai de lá satisfeito e não com aquela sensação de "comi demais" haha. Além da pizza ser muito boa, as cervejas que eles servem lá (só artesanais) são uma delícia e caem muito bem com a pizza. E tem mais... o ambiente é maravilhoso! Super convidativo e aconchegante. Fora o atendimento, que são pessoas muito legais! Ou seja: vale cada centavo. Enquanto estávamos comendo, perguntei para a Caroll se será que era possível conhecer a cozinha deles, já que eles (claaaaaro) são amigos do dono. 
No final de tudo, fui roubar umas bolachas (coleção e tal) e dei uma espiadinha na cozinha... não é que o dono e o cara que faz todas aquelas deliciosas massas, é meu vizinho de porta? hahaha. Aí ficou muito melhor a pizzaria. O casal (ela trabalha no caixa) é muito gente boa. Adorei saber que a pizzaria é deles. Ele vai me trazer umas bolachas legais e ainda me deixou conhecer a cozinha. Aí que vem a parte gostosinha da noite... ˆ.ˆ
Coloquei a touca e lá fui eu conhecer. Comecei a conversar com o pizzaiolo e ele me deu muita dica legal. Me tirou bastante dúvida e esclareceu muita coisa. Falou para eu ir comer, assim, eu TENHO que ir no Lagundri - http://www.lagundri.com.br/ - OLHA QUE LUGAR MARAVILHOSO! :˜) enfim, ele disse pra eu ir lá, comer e depois chamar o Marcelo, o chef. O cara é um dos dois caras no Brasil que tem formação gastronômica tailandesa (CHIQUE!) e disse que a cozinha dele é colírio para os olhos. Aí, mais uma dica, Durski - http://www.durski.com.br/ - tá, que o Madero é gostoso demais eu já sei, mas que o cara tinha um restaurante, eu não sabia. Que o restaurante é gostosíssimo, que ele tem a melhor carta de vinhos do Brasil e que ele não é um chef... isso eu também não sabia. O cara só viajou pelo mundo todo experimentando as cozinhas e virou um dos melhores chefs do Brasil (sonho, hein... viajar o mundo todo... assim fica fácil). 
Bom, só sei que a experiência de ontem foi muito, muito, muito boa e gostosa; comi uma pizza deliciosa, bebi uma cerveja muito boa, dei muita risada com o pessoal da pizzaria e com meus amigos e ainda tive a oportunidade de conhecer a cozinha. Ao mesmo tempo que foi triste... realmente quero largar publicidade e ir cursar gastronomia, mas como falo isso para meus pais, que há dois anos pagam mil reais por mês de mensalidade no meu curso atual? Meu pai me mata, fato. Mas outro fato: gastronomia é minha paixão!

e-mail


"Nós estamos sentadas almoçando quando minha filha casualmente menciona que ela e seu maridoestão pensando em 'começar uma família'. 'Nós estamos fazendo uma pesquisa', ela diz, meio debrincadeira. 'Você acha que eu deveria ter um bebê?' 'Vai mudar a sua vida', eu digo, cuidadosamente mantendo meu tom neutro. 'Eu sei', ela diz, 'nada de dormir até tarde nos finais de semana, nada de férias espontâneas.. .' Mas não foi nada disso que eu quis dizer. Eu olho para a minha filha, tentando decidir o que dizer a ela. Eu quero que ela saiba o que ela nunca vai aprender no curso de casais grávidos. Eu quero lhe dizer que as feridas físicas de dar à luz irão se curar, mas que tornar-se mãe deixará uma ferida emocional tão exposta que ela estará para sempre vulnerável. Eu penso em alertá-la que ela nunca mais vai ler um jornal sem se perguntar 'E se tivesse sido o MEU filho?' Que cada acidente de avião, cada incêndio irá lhe assombrar. Que quando ela vir fotos de crianças morrendo de fome, ela se perguntará se algo poderia ser pior do que ver seu filho morrer. Olho para suas unhas com a manicure impecável, seu terno estiloso e penso que não importa o quão sofisticada ela seja, tornar-se mãe irá reluzi-la ao nível primitivo da ursa que protege seu filhote. Que um grito urgente de 'Mãe!' fará com que ela derrube um suflê na sua melhor louça sem hesitar nem por um instante. Eu sinto que deveria avisá-la que não importa quantos anos ela investiu em sua carreira, ela será arrancada dos trilhos profissionais pela maternidade. Ela pode conseguir uma escolinha, mas um belo dia ela entrará numa importante reunião de negócios e pensará no cheiro do seu bebê. Ela vai ter que usar cada milímetro de sua disciplina para evitar sair correndo para casa, apenas para ter certeza de que o seu bebê está bem. Eu quero que a minha filha saiba que decisões do dia a dia não mais serão rotina. Que a decisão de um menino de 5 anos de ir ao banheiro masculino ao invés do feminino no Mcdonalds se tornará um enorme dilema. Que ali mesmo, em meio às bandejas barulhentas e crianças gritando, questões de independência e gênero serão pensadas contra a possibilidade de que um molestador de crianças possa estar observando no banheiro. Não importa o quão assertiva ela seja no escritório, ela se questionará constantemente como mãe. Olhando para minha atraente filha, eu quero assegurá-la de que o peso da gravidez ela perderá eventualmente, mas que ela jamais se sentirá a mesma sobre si mesma. Que a vida dela, hoje tão importante, será de menor valor quando ela tiver um filho. Que ela a daria num segundo para salvar sua cria, mas que ela também começará desejar por mais anos de vida -- não para realizar seus próprios sonhos, mas para ver seus filhos realizarem os deles. Eu quero que ela saiba que a cicatriz de uma cesárea ou estrias se tornarão medalhas de honra. O relacionamento de minha filha com seu marido irá mudar, mas não da forma como ela pensa. Eu queria que ela entendesse o quanto mais se pode amar um homem que tem cuidado ao passar talco num bebê ou que nunca hesita em brincar com seu filho. Eu acho que ela deveria saber que ela se apaixonará por ele novamente por razões que hoje ela acharia nada românticas. Eu gostaria que minha filha pudesse perceber a conexão que ela sentirá com as mulheres que através da história tentaram acabar com as guerras, o preconceito e com os motoristas bêbados. Eu espero que ela possa entender porque eu posso pensar racionalmente sobre a maioria das coisas, mas que eu me torno temporariamente insana quando eu discuto a ameaça da guerra nuclear para o futuro de meus filhos. Eu quero descrever para minha filha a enorme emoção de ver seu filho aprender a andar de bicicleta. Eu quero mostrar a ela a gargalhada gostosa de um bebê que está tocando o pelo macio de um cachorro ou gato pela primeira vez. Eu quero que ela prove a alegria que é tão real que chega a doer. O olhar de estranheza da minha filha me faz perceber que tenho lágrimas nos olhos.

'Você jamais se arrependerá', digo finalmente. Então estico minha mão sobre a mesa, aperto a mão da minha filha e faço uma prece silenciosa por ela, e por mim, e por todas as mulheres meramente mortais que encontraram em seu caminho este que é o mais maravilhoso dos chamados. Este presente abençoado de Deus... que é ser Mãe.”


Autor desconhecido. 


Mamãe sempre me faz chorar com esses e-mails.

sábado, 21 de maio de 2011

novo.


Tá bonita essa capa nova, hein!

It's always better when we're together



And all of these moments just might find their way into my dreams tonight 
But I know that they'll be gone when the morning light sings 
Or brings new things for tomorrow night you see 
That they'll be gone too, too many things I have to do 
But if all of these dreams might find their way into my day to day scene 
I'd be under the impression I was somewhere in between 
With only two, just me and you, not so many things we got to do 
Or places we got to be we'll sit beneath the mango tree now...

And there is no song I could sing 
And there is no combination of words I could say 
But I will still tell you one thing 
We're better together.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

sonho.

Festa: Quando é agitada: seus planos não estão dando certo. Tranqüila: terá que decidir sobre uma proposta interessante. Se a maioria dos convidados for estranha, é sinal de inquietações. Se você conhecer quase todos: tenha calma ao julgar determinada pessoa.

Roupa: Desejo de ocultar algo que está errado. Vestir-se, em sonho, indica que você ou alguém está ocultando algo de outro.

Sapato: Se novos e bem cuidados, os sapatos com que sonha é sucesso, êxito, viagens bem sucedidas; se rotos ou sujos, indicam dificuldades. Você está sentindo atualmente que precisa crescer, aparecer, brilhar, de algum modo. Os sapatos representam "status" na sociedade. Talvez você veja que meios, como o trabalho, um título escolar/universitário, sejam os ideais para se sentir melhor.

Família: Parentes próximos é um bom sinal e representa sorte por três dias.





Eu, chego de longe, em uma festa importante, com toda a família. Todas as mulheres estão de vestido e salto alto, eu de calça e tênis, preciso trocar. Vou trocar, me atraso e perco metade da festa... hein? Todo dia o mesmo sonho.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Songbird...


Conversando com um pássaro cantante ontem
Viajei para um lugar não tão distante
Ela é um pequeno piloto em minha mente
Cantando canções de amor para passar o tempo

Vou escrever uma canção, para que ela possa ver
Vou dar a ela todo o amor que ela dá para mim
Falar de dias melhores que estão por vir
Nunca senti esse amor por alguém

Ela não é qualquer uma

Um homem nunca pode sonhar este tipo de coisas
Principalmente quando ela chegou e abriu suas asas
Sussurrando em meu ouvido as coisas que eu gosto
Então ela voou para longe na noite

Vou escrever uma canção, e então ela poderá ver
Vou dar a ela todo o amor que ela deu para mim
Falar de dias melhores que estão por vir
Nunca senti esse amor por alguém

Ela não é qualquer uma



segunda-feira, 16 de maio de 2011

Namorados para Sempre.

Ontem assisti ao filme "Namorados para Sempre", com Ryan Gosling e Michelle Williams. O filme conta a estória de um casal, do início ao fim. Por mais que esse tipo de roteiro já esteja bem batido, o filme é muito bom. Começa com um ar já pesado, mas desde a primeira cena, já podemos perceber que ele é muito apaixonado pela esposa e meio "vadio"- podemos assim dizer, e ela já cansada da vida que anda levando. Ele então, faz uma reserva em um motel, para tentar melhorar as coisas entre ele e sua esposa. Enquanto assistimos o desastre que foi a tentativa de uma noite juntos, o filme nos mostra o primeiro encontro do casal e como foi o começo do namoro deles. 
Ele, um ajudante de mudanças; ela, uma jovem, grávida de um ex namorado. Ele, se apaixona perdidamente; ela, acha um pai para seu filho. Ele, aceita criar a filha dela; ela, aceita casar-se com ele. Ela sonha em ser médica e trabalha como enfermeira. Ele é pintor, cuida da casa e de sua filha e... bebe. Bebe muito, desde cedinho do dia. Ela, já cansada em ver sua filha tão apegada no então "pai" e cansada também, do marido estar sempre bêbado e nunca com um trabalho descente, ve seu casamento indo embora. Mas ao mesmo tempo, mesmo sabendo que ele é bêbado e praticamente desempregado, dá uma certa pena. Não sei se é porque ele é uma pessoa boa ou se é porque ele é o Ryan Gosling - depois que assisti "Diário de uma Paixão", sempre terei pena de Ryan hahaha.
Enfim, o filme é muito bom, triste e real, pois sabemos que isso se torna a realidade de muitos casais que sempre foram apaixonados enquanto namorados. Além de os atores serem muito bons, as cores de cena, a fotografia e o modo como foi filmado, mostrado perfeitamente o passado e o presente, deixam o filme ainda melhor. Eu assiti ao lado do meu namorado e me senti muito mais próxima dele no final do filme. Não sei qual explicação, mas no meio das brigas do casal, nós pegamos a mão um do outro e assistimos assim até o final (talvez porque começamos a ver o filme meio brigados...). Vale a pena assistir! :)

domingo, 15 de maio de 2011

Right Places.

Talvez eu nem esteja mais apaixonada por você ou talvez seja esse meu jeito... meio desapegada das coisas. Tem dias em que eu acordo sem vontade de te ver e outros, que eu vou dormir com muita vontade de te abraçar. Às vezes, quando as coisas não vão muito bem na minha vida, eu fico desanimada com tudo e ai, eu acabo descontando muita coisa em você, eu sei.
Aquela sensação de paixão passa e eu fico meio perdida. Fico perdida porque ainda não sei lidar com o amor. Algumas coisas não estão certas, eu te peço pra sair de casa e depois morro. Morro aqui, sozinha, chorando, esperando você voltar, tentando inventar alguma coisa pra ligar e pedir pra você vir dormir comigo... essas coisas. Isso só acontece porque eu amo você. 
Sei que tem coisas aqui no peito que não vão passar. Sei que quando fico um pouco sozinha, acabo relembrando das atitudes que você tomou e que acabaram me machucando demais. Vamos nos mudar e espero deixar toda essa mágoa e todas essas marcas, para trás. Quero ir dormir e acordar sabendo que estamos bem e que você nunca vai me fazer sofrer. Quero ficar com você sem medos e sem desconfianças. Quero que você de valor a tudo que lhe dou, assim como dou valor a tudo que você me dá. Sei que o meu lugar certo é onde você está.

sábado, 14 de maio de 2011

livrinhos de receitas.


Não tem jeito, eu gosto mesmo de gastronomia. E toda vez que eu entro em uma livraria e corro para os livros de comida e não para os de publicidade, fico pensando nas minhas dúvidas... será que estou no curso certo? Enquanto isso, vou ficando com os livros de receitas. Eu adoro muito livrinhos assim. Eles tem capas bonitas e conteúdos gostosos. Oh, quer livro melhor? Segue uma breve lista de livros que eu quero muito. Escolha o seu, que o receberei com muito carinho :)

http://www.fnac.com.br/mastering-the-art-of-french-cooking-9780307593528-FNAC,,livro-537513-2093.html (ACHEI!!)

http://www.fnac.com.br/chef-profissional-9788573599268-FNAC,,livro-544336-2093.html

http://www.fnac.com.br/le-cordon-bleu-todas-as-tecnicas-de-culinaria-8527902958-FNAC,,livro-121445-2093.html

http://www.fnac.com.br/cozinhando-para-amigos-8572342958-FNAC,,livro-57309-2093.html

http://www.fnac.com.br/cozinhando-para-amigos-2-9788572343893-FNAC,,livro-512656-2093.html

http://www.fnac.com.br/culinaria-expressa-9788579141928-FNAC,,livro-567192-2093.html

http://www.fnac.com.br/panelinha-receitas-que-funcionam-9788539600526-FNAC,,livro-569355-2093.html

http://www.fnac.com.br/comer-bem-dona-benta-8504006980-FNAC,,livro-286805-2093.html

http://www.fnac.com.br/revolucao-na-cozinha-9788525046956-FNAC,,livro-524530-2093.html

http://www.fnac.com.br/jamie-em-casa-cozinhe-para-ter-uma-vida-melhor-9788525045058-FNAC,,livro-1473-2093.html



Hihi :)

quarta-feira, 11 de maio de 2011

segunda-feira, 9 de maio de 2011

cabelis

Fui cortar meu cabelo naquele esquema de visagismo. O negócio é que:

1. Eu não gosto de cortar cabelo com mulher.
2. Eu não gosto de cabelo no ombro.
3. Eu não gosto de cabelo chanel.
4. Eu não gosto de franja no olho.
5. Cabeleireira que vai trabalhar com o cabelo sujo, não merece confiança.

Cheguei lá, uma mulher me atendeu, com o cabelo extremamente sujo. Falei que queria algo diferente, um corte novo, com um estilo legal. Ela disse que pra cortar meu cabelo em um estilo diferente só se fosse na altura do ombro ou ela acharia legal um estilo chanel. Até onde eu saiba, visagismo é corte perante formato de rosto e estilo de vida, essas coisas. A única coisa que ela me perguntou foi: qual sua idade? Mora aqui perto? O que tu acha de um estilo chanel, mais redondinho nas pontas? (Alô, tenho bochechas!). Falei que era melhor deixar como estava, que tirasse as pontas em camadas e só cortasse a franja na altura da sobrancelha, repicada. Aí, queriam me cobrar R$15,00 por apenas ter secado o cabelo depois da lavagem. Só secar, sem escova e nem nada. Falei que isso era ridículo, ela concordou e não me cobrou. Sai de lá com a franja exatamente na altura do olho, corte igual ao de antes e com  o cabelo úmido. Mas valeu pela hidratação Alfaparf, pelo menos to com o cabelo macio e bonitinho. Fim:




sábado, 7 de maio de 2011

Julie e Julia

Bom, passar o final de semana todo em casa, sozinha, de pijama, vendo filmes e me entupindo de comida é uma das coisas que eu mais gosto de fazer.
Hoje assisti a um filme muito bom, Julie e Julia. Pois é, ainda não tinha assistido. O filme é ótimo, adoro a Meryl Streep. A história (com h, pois é verídica) me deixou com muita vontade de comprar o livro de Julia Child - Dominando a Arte da Culinária Francesa:


Não é o livro mais lindinho que existe? Essa capa é realmente linda. Eu o quero. Quero para ter, quero para ler, quero para cozinhar, quero para aprender, quero porque amo comida, quero porque quero cozinhar as suas receitas aqui em casa e para os amigos. Claro que não vou aceitar a loucura de cozinhar 524 receitas em 365 dias... mas confesso que faria. Se eu tivesse uma cozinha legal, frigideiras e panelas à altura, eu juro que faria. Pena que não o achei em nenhuma livraria daqui. Acho que só em inglês mesmo, na internet e caríssimo por conta do frete... PLOP
Mas então, eu aceitaria de todo o coração ganhar de presente o livro que gerou o filme:


Quem será a alma caridosa a me doar este livro? Hum? Hum?

quinta-feira, 5 de maio de 2011

sway






Say whatever you have to say,
I'll stand by you,
And do whatever you have to do
To get it out and not become,
A reaction memory, no need to hurt the ones you love,
You know you never meant to but you did,
But you did.
oh yeahh you did

And be whoever you have to be,
I won't judge you,
Sing whatever you have to sing,
To get it out and not become a recluse,
About your house and c'mon,
I know you never meant to but you did,
Oh, but you did.

Still I need your sway,
'Cause you always pay for it,
And I, and I need your soul,
'Cause you're always soulful,
And I, and I need your heart,
'Cause you're always in the right places

Take whatever you have to take
You know I love you,
And come however you have to come
And get it out,and get it out to to to take it out on me,

And take it out on me
I give it you all, I give it you all,
I give it, I give it you all, and I give it you all,
Yes I would give you all

'Cause I need your sway,
'Cause you always pay for it,
And I, and I need your soul,
'Cause you're always soulful,
And I, and I need your heart,
'Cause you're always in the right places

Oh yes! you know
I would give you all

Still I need your sway,
'Cause you always pay for it,
And I, and I need your soul,
'Cause you're always soulful,
And I, and I need your heart,
'Cause you're always in the right places...

segunda-feira, 2 de maio de 2011

500? dias com ela.

"Que hábitos mórbidos os daquela dor: passava o dia cerimoniosa à espera da calada da noite para tomar posse da coluna vertebral e engendrar a crueldade de desaparecer de imediato, assim que o corpo mudava de posição na cama, para retornar com toda a intensidade em menos de dez segundos."
O Médico Doente - Drauzio Varella.

Então, quanto tempo eu não passo aqui. Mas que vida hei de estar levando, não? Nada mudou por aqui. Aliás, se mudou alguma coisa, me limito ao pensar. Ou talvez, não consigo enxergar que algo tenha mudado ou acontecido. Só durmo e acordo com uma dor nas costas terrível, causada por um tombo que aconteceu naquela terça-feira, dia 19. Um tombo no chão do quarto, que conseguiu tirar todas as minhas forças restantes e machucar os únicos lugares da minha coluna, que ainda estavam no lugar. Bater o cóccix é uma experiência que não desejo à ninguém. Virar três vértebras é outra coisa que não desejo, nem em meus sonhos. Virar vértebras... para um médico, não é algo comum, mas comigo acontece. Para outro, se isso acontece, leva a pessoa a usar cadeiras de rodas. E ai? Só sei que não faço mais nada a não ser deitar, tomar remédios e esperar passar. Três vértebras "viradas", uma pressão infinita nas costelas e uma dor gigantesca na lombar, que parece comer todos os meus músculos, órgãos, peles, tecidos... parece perfurar até a alma. Lá vão completar cinco meses de dor, dois de tratamento e dias que parecem nunca acabar. Não podia cair de cara no chão? Tinha que cair de costas?
Há aquelas pessoas que acham que eu sumi porque melhorei. Melhorei? Melhorei do que? Meu dia se resume só nesse estado doloroso em que se retém. Não penso em mais nada, como disse, nem sei se consigo pensar em alguma outra coisa que não seja a chance de ter que voltar para a casa de meus pais. Largar tudo aqui e voltar. Voltar para me tratar. Não é falta de consideração, não parei de falar sobre a minha vida porque melhorei algo ou que talvez esse algo nem tenha mudado. É só a preocupação, a tristeza e o medo de não conseguir me recuperar pela minha fraqueza nos ossos, no sangue e nos músculos, e ai, com 30 anos, eu não ter mais coordenação motora. Compreensível? Assim espero que seja. Continuo aqui, minha amizade também, mas agora ela vai estar deitada ali na cama e tremendo de dor por algumas horas. 
500, 400, 700, 1000 dias com dor nas costas. Até quando?