quinta-feira, 26 de maio de 2011

Lole.


Quando a nossa dor é muito grande, parece que nenhuma outra pessoa no mundo deve ficar feliz. Ontem, quando eu estava chorando sozinha, no escuro do quarto, passaram umas pessoas na rua rindo alto e eu tive aquela sensação de: "como vocês conseguem ficar feliz numa hora dessas?". Sei que perdemos muitas pessoas nesse mundo todo dia, mas como dói quando essa pessoa que é tirada, é alguém querido por você. 
Sei que já fazia algum tempo que não a via mais, que não participava mais da sua vida, mas durante um bom tempo ela foi uma pessoa muito importante para mim. Não consigo fechar meus olhos, que lembro da sua imagem. Agora me resta ficar com as lembranças. Lembrança de jogar baralho com ela, lembrança da praia de Ingleses, lembrança de quando ela levanta tão tarde da madrugada, para me levar para casa, lembrança dela lá na tv, há alguns anos atrás, nervosa porque seus filhos faziam bagunça com a sopa de agnoline, lembrança das jantas, lembrança dos documentários de geografia, lembrança da sua risada, lembrança das suas histórias, lembrança de suas reclamações com a turma da sétima série... tem tantas lembranças que irei levar comigo para sempre! Foi com você que aprendi a gostar de flores, agora você é minha lembrança de flores amarelas... loirinhas e branquinhas, assim como você. 
Hei, obrigada por ser uma amiga tão especial para mim e me desculpa por nunca ter ido tomar o café com você. Me perdoa? Me perdoa por estar longe e não ir poder me despedir de você? Sei que sim. E ai, iria dar uma daquelas suas risadas e falar: "entra aqui, antes que o vento te leve".


Fica com Deus, Lorena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário