domingo, 31 de julho de 2011

Glacies have melted to the sea.



E toda manhã que eu acordo e lembro que você não falou comigo, me sinto perdida. Sinto como se meu dia estivesse pela metade, faltando alguma coisa importante. Sei que preciso me desligar de você. Sei que preciso parar de viver minha vida de acordo com o que você acha certo... não posso viver sempre como  você quer. Sai de casa, cresci, tenho a minha vida, mas quando ela não anda nos trilhos que você coloca no meu chão, isso tudo acontece... dias sem nos falar, e quando nos falamos sinto aquele tom de decepção na sua voz. É, você não é a única que conhece os outros aqui, te conheço bem também; não adianta falar: "tá tudo bem", eu sei bem quando não está. Eu amo você mais do que qualquer outra pessoa no mundo, mas preciso viver minha vida por inteiro, mesmo sabendo que você não está 100% aqui do meu lado. Preciso descer dos seus pés, parei de dançar em cima deles já faz um tempo. 

sábado, 30 de julho de 2011

Let you take every line I've got.



If you want me
Let me know
Where do you wanna go
No need for talking
I already know
If you want me
Why go?
But if stars, shouldn't shine
By the very first time
Then dear it's fine, so fine by me
'Cos we can give it time
So much time
With me

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Well, she's walking through the clouds.





Bem, ela está caminhando pelas nuvens
com uma mente de circo, que está enlouquecendo.
Borboletas e zebras e raios lunares e contos de fadas, 
É só sobre isso que ela pensa... 
Passeando pelo vento. 
Quando eu estou triste, ela vem até mim com mil sorrisos. 
Ela me dá de graça. 
Tudo bem, ela diz, tudo bem. 
Pegue qualquer coisa que você quiser de mim, qualquer coisa. 
Voe, pequena asa.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Cansei.


Já chega. Essa fase já me mostrou tudo o que deveria mostrar ou me ensinar. Chega! Vamos brincar de um dia em que acordo e vou dormir sem notícias ruins? Vamos?!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Dai-me forças.

Às vezes eu acho que as coisas vem acontecendo pra me provar alguma coisa ou talvez me ensinar outra... mas Deus, eu não sou tão forte assim! Parece que tudo anda aos poucos tirando partezinhas do meu coração. Sinto que se for embora, vou estar cometendo um erro gigantesco, mas eu preciso continuar, tenho minha vida e toda aquela coisa. Ando perdida. Ando cansada. Ando precisando chorar por horas e sozinha. Ando precisando ficar só. Preciso sentir que as pessoas que eu amo, não estão se sentindo mal. Tá sendo muita coisa pra mim, meu Deus... é muita gente que eu amo passando por dificuldades. Pessoas lindas, queridas, de coração bom... o que acontece? Nenhuma merece nada disso que anda acontecendo.
E eu, que vim passar as férias e as lembranças que irão comigo não são nada boas. Não sei pra que lado me jogar. Meu pai com câncer, minha mãe que não está feliz, meu avô que anda sendo humilhado no trabalho pela própria nora... O que vem depois? Por que as pessoas boas recebem isso em troca? Ah, meu Deus, sei que não devo lhe cobrar, mas por que tudo isso? Onde eu tiro o restante da força que anda sumida aqui dentro de mim? Onde eu me seguro quando as lágrimas vem nos olhos?
Sinto vontade de abraçar o mundo e não consigo. Sinto vontade de pegar cada um daqueles que eu amo e levar para um passeio, para sorrir e esquecer dos problemas. Sinto vontade de cavar buracos, para tentar achar alguma força escondida em mim. Sinto vontade de pegar certas pessoas, que mesmo eu amando muito, merecem uns bons tapas na cara e assim fazer. Me sinto inútil. Me sinto sozinha. Não ando me sentindo amada como sentia uma vez.
Sei que preciso ter pensamento positivo sempre, mas não to conseguindo! Preciso de um ombro amigo, eu acho. Alguém que me escute reclamar, chorar, fraquejar, e que depois me de o melhor abraço do mundo, acompanhado com boas palavras. Sei que tudo vai ficar bem. Sei que logo tudo isso passa. Sei que é só uma fase. Sei que quando passar vou me sentir mais forte. Sei que vou conseguir. Sei que vamos conseguir.

Santa Maria, cuida de nós!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Falta.


Ontem ganhei o dvd do O Teatro Mágico. Ao ouvir, me deu uma pontada de nostalgia, de saudade, de alegria, de felicidade compartilhada. Saudade de morar na casa da mãe, sem muitas responsabilidades e com a agenda contendo os seguintes compromissos:

- dormir no vô
- passar na Kati
- ir na casa da Ju
- ir para o centro com a Kati
- encontrar a Ju para tomar um sorvete
- levar o Bernardo no vô
- jogar baralho com a vó
- cursinho
- mãe da Ju fez sobremesa e terere - ir dormir na casa da Ju
- tem mousse de limão na Kati - pegar a Ju e ir dormir na Kati

Sei que nossas vidas tomaram rumos diferentes, que talvez nem estavam em nossos planos ou que não imaginávamos que iam nos distanciar tanto. Às vezes me sinto longe demais, perdida do meio do caminho, como se a amizade de vocês já tivesse passado por mim há tempos e eu nem vi.
Sinto falta das manhãs, das tardes e das noites... dos dias em que estive ao lado de vocês. Não sei em que parte do caminho nossa amizade se perdeu. Se perdeu nos lados, nos cantos, por dentro dela mesma... mas queria que soubessem o quanto as amo, o quanto sinto falta e que só enquanto eu respirar, vou me lembrar de vocês.