quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.

Será que vai ser sempre assim? Bater a cabeça, achar que algo vai dar certo e depois me surpreendo tanto, que não para de doer, e me pergunto se essa dor vai ser pra sempre, e é ai que lembro que passa, tudo passa, eu sei que passa, então tenta voltar a conseguir comer algo, e conversar com as pessoas sem aquele aperto no meu coração, pois é assim que vivi quando estive amando, com medo, triste, enfim... essa é a dor que um dia prova que eu senti tudo que alguém podia sentir, só que apenas em um coração, então não sei se aguento, pois é apenas um coração... 

Por alguns momentos, apenas alguns momentos, é como se houvesse assim uma espécie de esperança, de possibilidade de esperança.

 

 

 

Não vou perguntar porque você voltou, acho que nem mesmo você sabe. (...) Só vou perguntar porque você se foi, se sabia que haveria uma distância, e que na distância a gente perde ou esquece tudo aquilo que construiu junto. E esquece sabendo que está esquecendo...

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

do cóccix à nuca.

Ou talvez eu só precise de férias, um porre e um novo amor. Porque no fundo eu sei que a realidade que eu sonhava afundou num copo de cachaça e virou utopia. Mas fique feliz, fique bem feliz, fique bem claro, queira ser feliz. Você é muito lindo e eu tento te enviar a minha melhor vibração de axé. Mesmo que a gente se perca, não importa, que tenha se transformado em passado antes de virar futuro. Mas que seja bom o que vier, para você, para mim.




Juro que minhas costas vão cair do meu corpo. Fazia muito tempo que não sentia assim... to quase chorando de dor! Saaaaaaaaaaaidemimmmmmmmm! E como to aqui na sala foreveralone, sem ninguém para conversar, vou chorar a dor nas costas aqui:

:~

domingo, 21 de agosto de 2011

Hoje.

Hoje? Hoje eu acordei melhor. Acordei mais calma e com a cabeça limpa. Parece que quando acontece alguma coisa ruim, demora mil anos pra gente se decidir, né? Mas e ai, que hoje eu acordei com as ideias todas organizadas, gosto de saber o que vou fazer e como vou fazer. Mas não depende só de mim, né? Então, eu espero.
Fui no cinema, comi, dei risada... minhas amigas são lindas! Agora, de banho tomado, fim de Faustão, um frio terrível, vejo a Bruna com o bibibi dela ali no quarto, Carol indo ver o bibibi dela daqui a pouco e eu... forever alone. Acho que deveria ser proibido dar um frio assim enquanto nós estamos sozinhas, principalmente se for no domingo. Er!

sábado, 20 de agosto de 2011

.

Oi coração.. onde você está? Pulou para fora do meu peito... volta?!







Resolvi que nesta noite de inverno em que vamos virar a noite de sábado pelo avesso da noite de julho, ninguém vai falar no que podia ter sido e não foi.

é!


Fiquei feliz em poder sentir tua falta, - a falta mostra o quão necessitamos de algo/alguém. É assim o nosso ciclo. Eu te preciso. Perto, longe, tanto faz. Preciso saber que tu está bem, se respira, se comeu ou tomou banho... Me faz bem pensar nessas atividades corriqueiras, que supostamente você está fazendo. Ah, e eu estou te esperando, com meu vestido longo, óculos escuros grandes e meu coração pulsando forte, e te abraçar até sentir o mundo girar apenas para nós. É, eu gosto muito de ti.

Falando bem na real agora.

Imagina um lugar, um lugar que você quer chegar e que você ama, mas só da pra chegar lá de barquinho. Então, você e alguém pegam um barquinho e vão remando, remando... até atravessar todo o rio e chegar nesse lugar. No meio do caminho, você cansa, tem vontade de jogar o remo lá do outro lado do mundo e tacar fogo no barquinho... mas ai você pensa: calma, eu amo aquele lugar, eu vou chegar até ele. Aí então, você tenta coisas diferentes... uma remada diferente, senta em um outro lugar do barquinho... tudo, menos desistir de remar, pois o lugar está lá, você o ve, você quer ele. Mas pode ser que a outra pessoa que está com você desista na metade desse caminho e joga o remo dela tão longe que você nem consegue mais ver. Essa pessoa continua no barco, mas não está remando com você, então, seus braços cansam, você cansa. Vocês brigam, pois é justo só você remar? Não, não é... e a outra pessoa sabe disso. Então ela se joga no rio e volta nadando. E ai, que fica difícil para ela voltar nadando, pois dói, machuca... ela encontra dificuldades, vontade de voltar para o baquinho, saudade de estar lá. E você, sozinho no barquinho, para de remar tanto, volta para o começo do rio, mas com tranquilidade e sofrendo o dobro, pois tá remando sozinho e também sente falta da outra pessoa para remar com você. Mas quando você se ve sozinho no barquinho e o lugar lá tão distante, pensa: não, a outra pessoa não amava tanto aquele lugar, não. Mas vocês ainda compram outros barquinhos, um para cada um, e acham outras pessoas para remar com vocês... no meio do caminho você nota que aquele caminho que você está percorrendo não tem tanta graça com outra pessoa, que não seja aquela, do primeiro barquinho, pois no seu coração, teria que ser ela lá remando com você. Então você lembra mais uma vez, que aquela pessoa desistiu e por mais que seja difícil, luta para esquecer e ser feliz no seu barquinho, remando de um outro jeito, em um outro caminho.

De tudo o que anda acontecendo, esta é exatamente a minha opinião:
Você acha que o nosso amor pode fazer milagres? - Eu acho que o nosso amor pode fazer tudo aquilo que quisermos.

Sempre foi esta a minha opinião. 

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Posso chorar aqui? Sei que engolir o choro e morrer de dor de cabeça não é saudável, mas que dor, meu Deus, que dor! Sim, agora estou morrendo por dentro, deixei meu coração lá na rua, bem no meio dela, com o sinal no "verde". E agora também estou sentindo que nunca mais vou passar por nenhuma outra experiência mais horrível que esta. Mas vai passar... não vai?
Na minha cabeça, fim não existe aqui... não agora, não assim. Pra mim, ainda to aqui escrevendo e escrevendo, mas esperando uma ligação dele no meio da noite, entende? Que ele venha me raptar e me roubar de toda essa realidade e esse sentimento horrível que eu to sentindo agora.
Se acabou? Acho que sim. Eu sei que era isso que ele queria, pode ser não que queria, mas que acreditava que iria acontecer... então... o que eu espero? Mas eu espero... porque o amor, esse ainda não acabou... e meu Pai... esse parece que nunca vai acabar.

fim.

17/08 

Moro em uma casinha lindinha, com elefantes coloridos pendurados no teto, barulhos de passarinhos cantando durante o dia todo e ainda acordo todas as manhãs ao lado da pessoa que eu amo. Curso algo que eu adoro, sei bem onde quero chegar e levo a vida mais tranquila.

Estou feliz assim e aceito continuar deste jeito.



(...)

 Ele não era um menino comum, isso eu soube desde que o vi. Foi quando eu senti, mais uma vez, que amar não tem remédio.

Só espero estar sempre tomando as decisões corretas, pois se for meu, volta, se não for pra ser, Deus sabe o que faz.

E hoje eu queria alguém que me dissesse que eu não precisava me preocupar, um ombro, uma mão. Desculpe tanta sede, tanta insatisfação. Amanhã, amanhã recomeço. Te espero, te gosto, te beijo.







Ele disse: - Eu não vou me esquecer de você.
Ela disse: - Nem eu.

reticências



Olhe, não fique assim não, vai passar. Eu sei que dói. É horrível. Eu sei que parece que você não vai agüentar, mas agüenta. Sei que parece que vai explodir, mas não explode. Sei que dá vontade de abrir um zíper nas costas e sair do corpo porque dentro da gente, nesse momento, não é um bom lugar para se estar. Dor é assim mesmo, arde, depois passa. Que bom. Aliás, a vida é assim: arde, depois passa. Que pena. A gente acha que não vai agüentar, mas agüenta: as dores da vida. Pense assim: agora tá insuportável, agora você queria abrir o zíper, sair do corpo, encarnar numa samambaia, virar um paralelepípedo ou qualquer coisa inanimada, anestesiada, silenciosa. Mas agora já passou. Agora já é dez segundos depois da frase passada. Sua dor já é dez segundos menor do que duas linhas atrás. Você acha que não porque esperar a dor passar é como olhar um transatlântico no horizonte estando na praia. Ele parece parado, mas aí você desvia o olho, toma um picolé, lê uma revista, dá um pulo no mar e quando vai ver o barco já tá lá longe. A sua dor agora, essa fogueira na sua barriga, essa sensação de que pegaram sua traquéia e seu estômago e torceram como uma toalha molhada, isso tudo – é difícil de acreditar, eu sei – vai virar só uma memória, um pequeno ponto negro diluído num imenso mar de memórias. Levante-se daí, vá tomar um picolé, ler uma revista, dar um pulo no mar. Quando você for ver, passou. Agora não dá mesmo pra ser feliz. É impossível. Mas quem disse que a gente deve ser feliz sempre? Isso é bobagem. “É melhor viver do que ser feliz”. Porque pra viver de verdade a gente tem que quebrar a cara. Tem que tentar e não conseguir. Achar que vai dar e ver que não deu. Querer muito e não alcançar. Ter e perder. Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e dizer uma coisa terrível, mas que tem que ser dita. Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e ouvir uma coisa terrível, que tem que ser ouvida.Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e ouvir uma coisa terrível, que tem que ser ouvida. A vida é incontornável. A gente perde, leva porrada, é passado pra trás, cai. Dói, ai, doi demaais. Mas passa. Está vendo essa dor que agora samba no seu peito de salto agulha? Você ainda vai olhá-la no fundo dos olhos e rir da cara dela. Juro que estou falando a verdade. Eu não minto. Vai passar.

Eu te amo. Mesmo negando. Mesmo deixando você ir. Mesmo não te pedindo pra ficar. Mesmo não olhando mais nos teus olhos. Mesmo não ouvindo a tua voz. Mesmo não fazendo mais parte dos teus dias. Mesmo estando longe, eu te amo. E amo mesmo. Mesmo não sabendo amar.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

:)



Moro em uma casinha lindinha, com elefantes coloridos pendurados no teto, barulhos de passarinhos cantando durante o dia todo e ainda acordo todas as manhãs ao lado da pessoa que eu amo. Curso algo que eu adoro, sei bem onde quero chegar e levo a vida mais tranquila.

Estou feliz assim e aceito continuar deste jeito.


sábado, 13 de agosto de 2011

CF



Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e dizer uma coisa terrível, mas que tem que ser dita. Tem que ter coragem de olhar no fundo dos olhos de alguém que a gente ama e ouvir uma coisa terrível, que tem que ser ouvida. A vida é incontornável. A gente perde, leva porrada, é passado pra trás, cai. Dói, ai, dói demaais. Mas passa. Está vendo essa dor que agora samba no seu peito de salto agulha? Você ainda vai olhá-la no fundo dos olhos e rir da cara dela. Juro que estou falando a verdade. Eu não minto. Vai passar.


 Chegue bem perto de mim. Me olhe, me toque, me diga qualquer coisa. Ou não diga nada, mas chegue mais perto. Não seja idiota, não deixe isso se perder, virar poeira, virar nada...
Se não for hoje, um dia será. Algumas coisas, por mais impossíveis e malucas que pareçam, a gente sabe, bem no fundo, que foram feitas pra um dia dar certo.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Bruna Marmith.

Amigaaa, PARABÉÉÉNNNNSSS!!!!

Desejo a você muuuuita saúde, amor, fé, amizades, sucesso, muita muita muita felicidade, força e coragem! Afinal, sabemos muito bem que essa vida não é nada fácil, sempre encontramos obstáculos pelo nosso caminho, que muitas vezes nos fazem pensar em desistir de tudo, não é mesmo?
Por isso desejo todas essas coisas boas a você! Para que você possa superar todas as adversidades da vida com muita força e determinação, não esquecendo que pode sempre contar comigo para tudo, tudo mesmo!
Desejo que você possa viver muitos momentos felizes e inesqueciveis ao lado de quem ama, que você possa dar muita risada de coisas bobas e das coisas sérias também e que você possa se livrar de tudo aquilo que te faça mal!
Desejo que você possa continuar a ser essa mulher maravilhosa que é, sem jamais esquecer aquela menina que eu conheci com 7 anos! Aquela menina cuja risada contagia, cujo olhar hipnotisa, cuja personalidade impressiona, e cuja simplicidade cativa a todos!
Brilha minha estrelinha, brilha!
AMO VOCÊ!
Incondicionalmente e eternamente!


Esse foi o melhor parabéns que eu já ganhei, claro que, vindo dela, quase todos os parabéns que ganhei foram maravilhosos, mas este me fez chorar. Talvez porque ela me conhece desde muito tempo ou porque ela viu eu passar por todas as fases ruins que já tive na minha vida. Falo pouco dela, não conto tanto, as vezes parece, mas eu amo, amo demais, ter a amizade dela. Como recebi esse recado por Orkut, quero salva-lo em outro lugar. 
Amo você. Obrigada!

domingo, 7 de agosto de 2011

Paper clips.





Eu quis te conhecer mas tenho que aceitar, caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá. Pode ser cruel a eternidade, eu ando em frente por sentir vontade. Eu quis te convencer mas chega de insistir, caberá ao nosso amor o que há de vir. Pode ser a eternidade má, caminho em frente pra sentir saudade.










Eu posso esquecer de mim mesmo, tentando ser outra pessoa 
Eu estou certo de que nós podemos ir em frente.
E satisfazer meu dia.
Eu deixo você ficar comigo se você se render.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

I hope you are seeing...




Someday I'll die for you
Baby I'd die for you


I know I seem discovered

But I'm buried deep inside
There's a hole so wide
You can see through it day or night
Come on and let me try



It's you and me against the world

But the world is learning
So knock on my door
And let my world start turning



And I was feeling low

You show me where this boy should go
Meet me at the end of the road
I need someone to hold
Yeah I need someone to hold



It's you and me against the world

But the world is learning
So knock on my door
And let my world start turning



I see it's up to me

And now we'll watch me suffer
Oh I see it's up to me
And now we'll watch me suffer
And no wonder



It's you and me against the world

But the world is learning
Don't you knock on my door
And let this world start turning
Start turning
Turning
I hope you are learning
I hope you are learning
Babe, I hope you are learning yeah


The Verve - You and Me

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Take anything you want from me.

Passei a madrugada toda com muita dor de estômago e ansia de vômito. Assim, muita dor! Que droga. Sabia que uma hora o nervosismo que passei nos últimos dias iria aparecer dessa forma. O negócio é que já são 14h e eu não consigo sair da cama, não consigo me mexer. É muita dor :/ dor, frio, tristeza e solidão. Pois é, to me sentindo terrivelmente sozinha. Não sei se me acostumei a ficar sempre na companhia de alguém nessas férias, só sei que estou forever alone aqui nesse quarto escuro e gelado. Então hoje eu irei dormir na casa de minhas amigas, para rir, conversar, esquecer um pouco dessa fase ruim e esperar, lindamente, que eu durma sem pesadelos e dor de estômago. Agora só preciso conseguir levantar da cama, comer, me arrumar, ir para aula e mimimi. Preciso dar um tempo na tentativa de entender como o desrespeito tomou conta. Às vezes tenho vontade de ser tão mal educada quanto a pessoa, mas não consigo... não consigo! Como vou ser mal educada com quem eu amo e divido a minha vida? Ah, nem rola. Acho que preciso ser ausente da sua vida, tanto quanto você anda sendo da minha.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

PLOP


Hoje eu acordei com uma vontade de não acordar. Uma vontade de não abrir as janelas, de não levantar da cama, de não viver. Ando tendo essas vontades depressivas... credo. Preciso de um emprego novo e nem quero mais saber da coluna, cansei de esperar, por ela eu não trabalharia nunca mais.
Agora tenho que criar coragem e ligar para a minha mãe, que não fala comigo. Meu irmão fez cirurgia da adenóide, coitadinho. Mas deve estar tudo bem (se é que ele já foi operado, não sei).
Vamos lá, vamos viver. PLOP.