sábado, 20 de agosto de 2011

Falando bem na real agora.

Imagina um lugar, um lugar que você quer chegar e que você ama, mas só da pra chegar lá de barquinho. Então, você e alguém pegam um barquinho e vão remando, remando... até atravessar todo o rio e chegar nesse lugar. No meio do caminho, você cansa, tem vontade de jogar o remo lá do outro lado do mundo e tacar fogo no barquinho... mas ai você pensa: calma, eu amo aquele lugar, eu vou chegar até ele. Aí então, você tenta coisas diferentes... uma remada diferente, senta em um outro lugar do barquinho... tudo, menos desistir de remar, pois o lugar está lá, você o ve, você quer ele. Mas pode ser que a outra pessoa que está com você desista na metade desse caminho e joga o remo dela tão longe que você nem consegue mais ver. Essa pessoa continua no barco, mas não está remando com você, então, seus braços cansam, você cansa. Vocês brigam, pois é justo só você remar? Não, não é... e a outra pessoa sabe disso. Então ela se joga no rio e volta nadando. E ai, que fica difícil para ela voltar nadando, pois dói, machuca... ela encontra dificuldades, vontade de voltar para o baquinho, saudade de estar lá. E você, sozinho no barquinho, para de remar tanto, volta para o começo do rio, mas com tranquilidade e sofrendo o dobro, pois tá remando sozinho e também sente falta da outra pessoa para remar com você. Mas quando você se ve sozinho no barquinho e o lugar lá tão distante, pensa: não, a outra pessoa não amava tanto aquele lugar, não. Mas vocês ainda compram outros barquinhos, um para cada um, e acham outras pessoas para remar com vocês... no meio do caminho você nota que aquele caminho que você está percorrendo não tem tanta graça com outra pessoa, que não seja aquela, do primeiro barquinho, pois no seu coração, teria que ser ela lá remando com você. Então você lembra mais uma vez, que aquela pessoa desistiu e por mais que seja difícil, luta para esquecer e ser feliz no seu barquinho, remando de um outro jeito, em um outro caminho.

De tudo o que anda acontecendo, esta é exatamente a minha opinião:
Você acha que o nosso amor pode fazer milagres? - Eu acho que o nosso amor pode fazer tudo aquilo que quisermos.

Sempre foi esta a minha opinião. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário